18 set 2019 - 23h47

O Furacão é campeão do Brasil!

Pode soltar o grito da garganta, torcedor rubro-negro! O Furacão é campeão da Copa do Brasil pela primeira vez em sua história. Ao vencer o Internacional por 2 a 1 em pleno Estádio do Beira-Rio, a equipe do treinador Tiago Nunes selou a conquista do título nacional inédito e entrou para a história novamente.

Primeiro tempo

Empurrado pela torcida, o Inter iniciou o jogo tentando se impor em campo, e logo aos 3 minutos já criou a primeira chance de gol do jogo. Nico Lopez recebeu passe de cabeça de Guerrero na esquerda e chutou para boa defesa de Santos, à queima roupa.

Entretanto, a partida logo passou a ficar tensa, com ambas as equipes cometendo muitas faltas, dando trabalho para a arbitragem e não permitindo que a bola rolasse.

Apenas aos 19 minutos houve nova finalização, novamente do Inter, em cruzamento na área para cabeceio de Patrick, sem perigo.

Passada a pressão inicial, o Athletico passou a se arriscar mais. Aos 19 minutos, Leo Cittadini tentou chute de longa distância para defesa tranquila de Marcelo Lomba. A segunda chance surgiu aos 23 minutos, e desta vez o meia atleticano não perdoou. Rony puxou contra ataque em velocidade, lançou Marco Ruben, que encontrou Cittadini livre na área para finalizar, abrindo o placar para o Furacão.

Léo Cittadini, antes de fazer o gol [foto: AGÊNCIA F8/Vinicius do Prado]

Entretanto não houve muito tempo para comemorar. Logo aos 30, após bate e rebate na área, a bola sobrou limpa para Nico Lopez chutar na pequena área e marcar o gol de empate da equipe colorada.

O gol trouxe a torcida da casa de volta ao jogo. Aos 38 minutos, Wellington Silva recebeu cruzamento na área e cabeceou fraco para defesa de Santos. Aos 43, Nico Lopez voltou a assustar após jogada individual pela direita e finalização com o pé esquerdo, novamente para defesa do arqueiro atleticano. Aos 46, quase a virada do Inter em cruzamento errado de Patrick, que enganou Santos, com a bola indo na direção do gol e passando muito perto de entrar. Entretanto, a partida foi para o intervalo com o empate no placar.

Segundo tempo

Logo aos 2 minutos, o Inter arriscou seu primeiro chute com Guerrero de longe, sem perigo para Santos. Aos 8, Sobis bateu falta perigosa para defesa segura do arqueiro atleticano.

O time da casa tentava se impor, mas o Athletico trabalhava bem a bola e não permitia que a equipe colorada levasse perigo real.

Aos 24 minutos, a zaga atleticana rebateu um cruzamento e Wellington Silva pegou a sobra, batendo de longe com perigo.

O jogo seguia sem grandes chances, mas o Inter se abria cada vez mais em busca do resultado e oferecia o contra ataque para o Athletico. Aos 30 minutos, em jogada pela esquerda, Rony encontrou Cirino, que entrou no lugar de Marco Ruben. O atacante atleticano cabeceou de raspão e quase marcou o segundo gol atleticano. Mas ficou guardado o melhor para o final. Marcelo, em maravilhosa jogada individual, tirou 3 defensores do Inter da jogada e cruzou para Rony, livre, selar a vitória atleticana e garantir o título para o Athletico.

SOMOS CAMPEÕES, TORCIDA ATLETICANA!

Ficha técnica

Copa do Brasil 2019 – 18/09/2019 – Internacional 1 x 2 Athletico

L: Beira-Rio; A: Wilton Pereira de Sampaio (GO); H: 21h30; P: 50.355; R: R$2.742.150,00; CA: Nico López, Bruno, Rodrigo Moledo, Wellington e Marco Ruben; CV: Não houve; G: Léo Cittadini, aos 23′, e Nico López, aos 30′ do 1°; Rony, aos 50 do 2°.

 

INTERNACIONAL:  Marcelo Lomba; Bruno (Nonato, aos 54′), Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenilson, Patrick (Rafael Sobis, no intervalo), Wellington Silva (Guilherme Parede, aos 85′) e Nico López; Paolo Guerrero. T: Odair Hellmann.

 

ATHLETICO: Santos; Khellven (Madson, aos 60′), Robson Bambu, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini (Lucho González, aos 83′); Nikão, Marco Ruben (Marcelo Cirino, aos 67′) e Rony. T: Tiago Nunes.



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…