23 set 2019 - 18h20

Eles também foram campeões: Renan Lodi, Paulo André, Jaderson, Pedrinho…

Talvez alguns não se recordem, mas Renan Lodi e Paulo André jogaram a Copa do Brasil 2019 pelo Athletico e, portanto, também conquistaram o título nacional.

Os dois atuaram no primeiro jogo do Furacão na competição, diante do Fortaleza, na Arena Castelão, no dia 16 de maio de 2019. Ambos foram titulares. A partida terminou empatada por 0 a 0.

No jogo de volta, Paulo André ficou no banco de reservas. A dupla de zaga titular foi formada por Léo Pereira e Lucas Halter. Renan Lodi lamentavelmente não pode jogar em razão de uma decisão até hoje mal explicada da CBF, que não o dispensou de uma convocação para a seleção olímpica.

Saídas

Em seguida, o lateral foi negociado com o Atlético de Madrid e deixou o Furacão antes do primeiro confronto das quartas-de-final, contra o Flamengo. Na mesma época, Paulo André anunciou sua aposentadoria como jogador e assumiu uma função de dirigente no clube.

Somos campeões!

Apesar da participação apenas no primeiro jogo, ambos se consideram legítimos campeões. Renan Lodi cobrou publicamente uma medalha:

Já Paulo André comemorou com os ex-colegas a conquista do título no vestiário do Beira-Rio, lembrando que este era a única conquista que faltava no seu currículo de atleta:

 

Campeões sem entrar em campo

Além de Paulo André e Renan Lodi, o elenco do Furacão campeão da Copa do Brasil conta com outros jogadores que participaram de poucos jogos, mas fizeram parte do título, e outros que nem sequer entraram em campo, mas ficaram à disposição de Tiago Nunes.

Braian Romero entrou nos dois jogos contra o Fortaleza, somando um total de 39 minutos em campo. Ele ficou no banco de reservas em todo os jogos seguintes, mas não voltou a entrar em campo.

Outros que estiveram apenas no banco foram o meia Tomás Andrade, o volante Rossetto e o lateral-esquerda Abner Felipe. Os três participaram de sete dos oito jogos na condição de reservas, nunca foram utilizados por Tiago Nunes – mas saíram na foto do pôster.

Os goleiros Caio Allan e Léo ficaram no banco de Santos (o primeiro nos quatro primeiros jogos, e Léo nos quatro últimos).

Os jovens Jaderson e Pedrinho, que integram a equipe de aspirantes, tiveram a chance de ficar no banco em pelo menos uma partida da Copa do Brasil, mas igualmente não atingiram sequer um minuto em campo.

Assuntos: | |


Últimas Notícias

Notícias

De novo a dupla Fla x Flu

Há jogos que mesmo não sendo decisivos acabam sendo marcantes. Lógico que uma final, uma partida que valha vaga para uma fase aguda de uma…

Notícias

Adeus, professor Vadão

Hoje (25) à tarde faleceu Oswaldo Alvarez, o Vadão, que estava internado tratando um câncer no fígado. A notícia vem logo após um domingo nostálgico…

Memória

2002 COM MUITA PAZ

Na tarde do dia 23 de Dezembro de 2001, o Furacão conquistava o seu primeiro título nacional! A partida final, em São Caetano do Sul,…