2 out 2019 - 10h14

Premiações do tamanho de suas conquistas

Além de títulos e resultados esportivos, o ano de 2019 tem sido excelente para o Furacão em termos financeiros.

Ainda estamos em setembro e o Athletico já acumulou aproximadamente R$ 87,15 milhões em premiações de torneios. Foram US$ 4,05 milhões (aproximadamente R$ 16,2 milhões) pela participação na Copa Libertadores, US$ 750 mil (R$ 3 milhões) pela Recopa Sul-Americana, US$ 900 mil (R$ 3,6 milhões) pelo título da Levain Cup/Sul-Americana e R$ 64,35 milhões pelo título da Copa do Brasil.

Para se ter uma ideia do quanto isso representa para um clube como o Athletico, no ano passado – ano de título continental – o valor em premiações foi de quase R$ 27 milhões. Ou seja, houve um aumento de 138%!

O ano acabou?

Não, o ano não acabou e há previsão de mais recursos para os cofres rubro-negros. Segundo as novas regras de repartição das receitas do Campeonato Brasileiro, uma das parcelas a serem divididas entre os clubes é referente ao desempenho técnico.

O 16º colocado deve receber algo em torno de R$ 11 milhões, enquanto que o 7º (classificação do clube em 2018) receberá R$ 23 milhões – isso sem contar a parcela garantida que o clube tem direito pelo acordo com a Turner.

Ou seja, há muito em jogo ainda na competição e cada ponto deve ser lutado até o fim.

O futuro é promissor

O clube ainda não é rico, até porque superar ou chegar próximo dos mais de R$ 600 milhões que faturam Flamengo e Palmeiras é muito difícil. Porém, o Furacão está cada dia mais consolidado entre os grandes, não só em estrutura e agora em títulos, como em arrecadação.

Segundo estimativas, o Athletico deve faturar algo em torno de R$ 300 milhões neste ano, entre premiação, receitas televisivas, patrocínios e venda de atletas (como Pablo e Renan Lodi).

Ou seja, muito além da merecida festa por um título nacional, a torcida pode comemorar a consolidação de um projeto que faz do Athletico uma referência em planejamento esportivo fora e dentro de campo.

Financeiramente, o título da Copa do Brasil traz um conforto que normalmente apenas clubes do grande centro político-econômico do país têm. Pois além da significativa quantia recebida pelo título, também nos garante um calendário rentável. Parece que finalmente o clube entra no prometido círculo virtuoso dos investimentos em patrimônio físico e jovens atletas.

Assuntos: |


Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Um novo Dagoberto

Pelo visto a negociação com Rony está tornando-se ou tornou-se um novo caso Dagoberto. As comparações são evidentes. Os casos são parecidos, devido à rejeição…