4 dez 2019 - 22h40

Athletico derrota o Santos na última partida do ano na Arena

Diante de um público de quase 32 mil pessoas (recorde da Arena no ano pelo Brasileirão), o Athletico fez um jogo equilibrado contra o Santos e venceu a última partida em casa em 2019, em uma emocionante noite de despedidas.

O jogo

O Santos não está na vice liderança do Campeonato por acaso. A equipe do técnico Jorge Sampaoli ditou o ritmo da partida desde o início do primeiro tempo, imprimindo uma forte marcação no campo de defesa do Athletico e evitando que a equipe rubro-negra se sentisse confortável. Apesar disso, o jogo teve poucas oportunidades no início, com ambas as equipes se estudando muito.

Somente após quase 20 minutos de jogo o Furacão conseguiu manter a posse de bola e avançar suas linhas, mas esbarrava numa marcação sólida da equipe santista e não conseguia produzir chances reais de gol.

Aos 35 minutos, o Santos iniciou uma sequência de investidas que duraria até o fim da primeira etapa. Em boa troca de passes pelo lado direito do ataque alvinegro, Soteldo – um dos melhores jogadores em campo – recebeu na pequena área e bateu sem ângulo na rede pelo lado de fora. Susto na zaga rubro-negra. Aos 38, mais uma investida, desta vez com uma finalização de longa distância do lateral santista após Santos afastar uma bola lançada na área.

O Santos seguia pressionando. Aos 42, mais um chute de longa distância assustou o goleiro atleticano, e um minuto depois, quase a equipe santista abriu o placar em um rápido contra ataque em que Eduardo Sasha saiu de frente para o gol, livre, mas finalizou mal. O primeiro tempo terminou em 0 a 0, mas era a equipe do Peixe que assustava.

No segundo tempo, o treinador Eduardo Barros promoveu a entrada de Madson no lugar de Jhonatan e inverteu Rony e Marcelo de posição. A mudança surtiu efeito rapidamente e, logo aos 3 minutos, o camisa 7 atleticano deu lindo cruzamento para Marco Ruben subir livre e cabecear para o fundo das redes do Santos, abrindo o placar. Delírio total da torcida ao ovacionar o atacante argentino, um dos atletas que se despedia da Arena no jogo de hoje.

O Athletico tomou conta do jogo a partir de então e Rony seguia infernizando a marcação do time paulista. Um minuto após o gol, o ponta fez outra jogada individual pela direita e rolou para o meio para finalização mascada de Lucho Gonzalez.

O jogo seguia em ritmo frenético e, menos de um minuto depois, foi a vez do time santista assustar a torcida em bola cruzada pelo lado esquerdo do ataque, que encontrou Marinho livre para cabecear para fora. Aos 11 minutos, o Furacão mais uma vez foi ao ataque e o zagueiro Léo Pereira arriscou chute forte de longe, obrigando o goleiro Everson a fazer boa defesa.

A partir daí, o jogo baixou de ritmo. O Furacão investia com cautela e a equipe santista não se encontrava em campo, até que aos 23 minutos, após lindo lançamento de Camacho, Rony ia sair na cara do gol, mas foi parado pelo zagueiro Luan Peres, que fez a falta, recebeu segundo cartão amarelo e foi expulso. O Athletico passou então a ter o domínio total da bola, embora criasse pouco.

Aos 44 minutos, um dos momentos mais emocionantes da noite. O técnico Eduardo Barros tirou Marcelo Cirino para a entrada de Bruno Guimarães – outros dois atletas que se despediam da Arena nesta noite. O atacante atleticano chorou copiosamente no gramado e foi aplaudido de pé pela torcida.

Aos 49 minutos do segundo tempo, o Athletico puxava um contra ataque em 4 jogadores contra um defensor santista. Rony disparou pela direita, enxergou Bruno Guimarães livre e passou para o meia atleticano bater para marcar e, pela primeira vez na história do futebol, fazer o segundo gol em uma partida que terminou 1 a 0, em uma partida que vai durar para sempre no estádio Joaquim Américo Guimarães.



Últimas Notícias

Opinião

Parabéns Athletico

Não é fácil passar o aniversário de quem a gente ama separados. A distância dói e nas datas especiais o coração aperta ainda mais. Aquela…

Fala, Atleticano

Melancólico

Sim, Perdemos… O time rubro negro, perdeu de 4×0 para o nosso maior rival, alias mereceu perder, não vi o jogo, assim como nenhum torcedor…