20 fev 2020 - 17h18

Goleiro Santos desfalca Athletico

No momento o torcedor atleticano pode não ter se apercebido, mas o fato do goleiro Santos, que defende a meta do rubro-negro e da Seleção Brasileira, ter pedido paralisação da partida após dividir a bola com o atacante do Flamengo e ter ficado com a bola, levantava dúvidas sobre uma possível contusão. O goleiro, que tem na seriedade uma de suas principais características, nunca foi de fazer “cera” e o momento do jogo sequer o levaria a isso.

A partida foi paralisada, ele foi atendido, seguiu no jogo, mas no dia seguinte o veredicto oficial: o goleiro sofreu uma lesão no menisco e passará por uma artroscopia.

A LESÃO  

Aparentemente a lesão não é grave. Em geral esse tipo de contusão em atletas de alto rendimento surge através de um trauma, ou seja, ocorre geralmente após uma entorse do joelho que pode lesionar qualquer uma de suas cartilagens, neste caso o menisco.

Conforme entrevista concedida pelo Dr. Dante Grein, médico ortopedista e especializado na área, quando constatada e confirmada por exames clínico e de imagem, ela acaba levando à cirurgia, visto que esse tipo de lesão causa dor, desconforto e acaba limitando a atividade física, prejudicando assim a performance do profissional.

Em casos semelhantes, a opção por não se fazer a cirurgia pode até permitir que o atleta siga jogando, mas as dores pós atividade física e o desconforto gerado (além do maior tempo de recuperação necessário entre uma atividade e outra), fazem com que se prefira a artroscopia para dar solução definitiva ao problema, mesmo que isso custe algum tempo de afastamento profissional.

Numa pessoa “não atleta” é possível que tratamento fisioterápico a longo prazo possa resolver o problema, o que não ocorre com um jogador, uma vez que o tempo de tratamento sem cirurgia é muitas vezes superior ao de uma artroscopia, procedimento este que hoje, com todo o avanço da medicina e da tecnologia, é feito totalmente por vídeo com duração de cerca de meia hora.

Dr. Dante lembra, entretanto, que isso são linhas gerais já consagradas na medicina esportiva e que todo esse relato é em tese, visto cada caso ter suas particularidades e até mesmo por ética profissional ele não poderia falar especificamente do caso do goleiro atleticano por não tê-lo examinado.

Já quanto a recuperação, as lesões meniscais em atletas profissionais já com condicionamento físico e todo acompanhamento fisioterápico em dois períodos diários, tem tempo de tratamento pós-operatório de cerca de 20-30 dias, podendo a seguir o atleta voltar à prática esportiva.

A previsão do clube é que o goleiro fique fora da meta atleticana de 4 a 6 semanas, assumindo no seu lugar o recém contratado goleiro Jandrei, ex-Chapecoense e que estava no futebol italiano.



Últimas Notícias

Notícias

De novo a dupla Fla x Flu

Há jogos que mesmo não sendo decisivos acabam sendo marcantes. Lógico que uma final, uma partida que valha vaga para uma fase aguda de uma…

Notícias

Adeus, professor Vadão

Hoje (25) à tarde faleceu Oswaldo Alvarez, o Vadão, que estava internado tratando um câncer no fígado. A notícia vem logo após um domingo nostálgico…

Memória

2002 COM MUITA PAZ

Na tarde do dia 23 de Dezembro de 2001, o Furacão conquistava o seu primeiro título nacional! A partida final, em São Caetano do Sul,…