26 fev 2020 - 8h00

Colo-Colo: o segundo desafio do Athletico na Libertadores 2020

O Club Social y Deportivo Colo-Colo foi fundado em 19 de Abril de 1925 por um grupo de ex-jogadores do Club Social y Deportivo Magallanes, liderados por David Arellano – que seria um de seus grandes jogadores e líder indiscutível. Desde 2005, é administrado pela sociedade anônima Blanco y Negro S.A. sob um sistema de concessão.

Colo-Colo é uma homenagem ao cacique de mesmo nome – herói indígena da tribo Mapuche na luta contra os espanhóis durante o século XVI e que era conhecido por sua grande inteligência. Seu símbolo é a figura de um índio.

É a equipe chilena com o maior número de títulos nacionais – são 32 conquistas. Foi a primeira e única equipe do país a conquistar a Copa Libertadores da América, em 1991.

O clube chegou pela primeira vez à final da competição continental em 1973, contra o Independiente (ARG) que seria o campeão daquele ano.

O Colo-Colo foi a base da seleção chilena que disputaria a Copa do Mundo de 1974.

Há 29 anos, o Colo-Colo encarou na semifinal da Liberadores o Boca Juniors, defendido por Gabriel Batistuta e treinado por Oscar Tabarez. Depois de perder por 1 a 0 na Bombonera, o time chileno ganhou por 3 a 1 o jogo de volta, marcado por uma batalha campal no Estádio Monumental. Fato curioso é que, durante a briga generalizada no gramado, um cão da polícia chilena mordeu a nádega de Navarro Montoya, arqueiro do time blanco y negro.

O goleiro colombiano naturalizado argentino é nome conhecido dos torcedores atleticanos. Atuou em duas oportunidades em 2006, defendendo as cores rubro-negras, na sua breve passagem pelo Furacão.

Após empatar sem gols em Assunção, a vitória por 3 a 0 em Santiago sobre o Olimpia (PAR) decretou o primeiro e único título de campeão da Libertadores ao Colo-Colo.

Principais títulos: Copa Libertadores da América (1991), Copa Interamericana (1992), 1 Recopa (contra o Cruzeiro, em 1992), 32 títulos do campeonato chileno, 12 Copas do Chile e 2 Supercopas do Chile.

Colo-Colo demite técnico

Após 4 derrotas seguidas, o técnico Mario Salas foi desligado do clube nesta última terça-feira.

O treinador estava no comando da equipe chilena desde dezembro de 2018 e não resistiu aos maus resultados recentes da equipe. Em 2019, conquistou a Copa do Chile.

A equipe ocupa, atualmente, o 14° lugar e tem uma vitória e quatro derrotas no Chileno, perto da zona de rebaixamento.

O time-base – comandado, até então, por Mario Salas – conta com Cortés; Opazo, Barroso, Insaurralde e De La Fuente; Fuentes e Provoste; Léo Valencia, Bolados (Matías Fernández) e Vejar; Paredes (Nicolas Blandi).

Rubro-Negro X Blanco y Negro

Este será o primeiro encontro entre as equipes.

Athletico e Colo-Colo enfrentam-se nos dias 11 de março (19h15) e 08 de abril (19h15) em partidas válidas pela segunda e quarta rodada, respectivamente, da fase de grupos. O primeiro duelo será em Santiago e o segundo na Arena da Baixada.

Os chilenos disputarão, neste ano, a competição pela 34ª vez.

Já o Athletico participa pela 7ª vez do torneio continental mais importante da América.

Além do Colo-Colo, o Furacão enfrentará Peñarol (Uriguai) e Jorge Wilstermann (Bolívia).



Últimas Notícias

Opinião

Parabéns Athletico

Não é fácil passar o aniversário de quem a gente ama separados. A distância dói e nas datas especiais o coração aperta ainda mais. Aquela…

Fala, Atleticano

Melancólico

Sim, Perdemos… O time rubro negro, perdeu de 4×0 para o nosso maior rival, alias mereceu perder, não vi o jogo, assim como nenhum torcedor…