8 set 2020 - 23h35

Athletico não deve fazer reconhecimento no Félix Capriles, em Cochabamba

Em meio ao cenário de pandemia da Covid-19, a Libertadores da América retorna na próxima semana, com planos diferenciados dos clubes para garantir a segurança dos atletas e delegações para os jogos em outros países.

Um dos primeiros a enfrentar esse novo cenário é o Athletico, que na próxima segunda-feira (14), desembarca em Cochabamba, na Bolívia, para enfrentar o Jorge Wilstermann. O desembarque na cidade boliviana, distante 386 km da capital La Paz, será “justo” em termos futebolísticos: apenas 25 horas antes de entrar em campo, no estádio Félix Capriles.

A delegação deve chegar à cidade na segunda-feira, véspera do jogo, por volta das 17h15, e segue do aeroporto direto para o hotel onde fará a concentração com os atletas em quartos individuais. A partida ocorre no dia seguinte, terça-feira, às 18h15 (horário local) – 19h15 no horário de Brasília.

Por conta disso, informações da imprensa local indicam que o Furacão abriu mão inclusive do treino de reconhecimento do gramado, que normalmente ocorre 24 horas antes das partidas. “O Athletico Paranaense não fará o reconhecimento de campo, mas sabemos que é uma grande equipe e que não será um jogo fácil”, disse o presidente do Wilstermann, Gróver Vargas, em entrevista ao jornal Opinión, de Cochabamba, confirmando a programação.

Cochabamba é a terceira maior cidade da Bolívia, situada na parte central do país, e um dos principais epicentros do coronavírus no país, que até o momento soma mais de 120 mil casos confirmados e 5.300 mortes. Segundo a imprensa local, a região de Santa Cruz é a mais afetada com 40.445 casos e 1.831 mortes, seguida por La Paz, com 30.000 infecções e 715 mortes e, em terceiro lugar, está Cochabamba com 12.370 casos e 941 mortes. Na previsão do Ministério da Saúde do país, o pico de infecções pela doença deve ocorrer agora em setembro, o que justifica ainda mais toda precaução pelo isolamento máximo da delegação atleticana na Bolívia.

No início desta semana, o Jorge Wilstermann informou que realizou testes em toda sua delegação e não teve nenhum resultado positivo – no início do mês, o clube informou dois casos positivos de infecção por coronavírus em seu grupo principal, ambos assintomáticos. Neste novo comunicado médico, o clube boliviano revelou que dois atletas estão em tratamento médico por problemas musculares: o meia-atacante Sebastián Galindo e o volante Pablo Laredo, que são dúvidas para a partida.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…