30 nov 2020 - 22h48

Conheça o Estádio Libertadores de América, palco de River Plate x Athletico

Jogar na Argentina tem sido quase que uma rotina ao Athletico nos últimos meses. Afinal, desde o ano passado, esta é a quarta vez que o Furacão viaja ao país vizinho para uma partida oficial – ano passado, foram dois jogos contra o Boca Juniors, na Bombonera, e um contra o River Plate, na final da Recopa Sul-Americana. Nesta terça-feira (01/12), o duelo é novamente contra o River Plate, pelas oitavas de final da Libertadores, mas num palco “desconhecido” do Rubro-Negro: o Estádio Libertadores de América, na cidade de Avellaneda, na Grande Buenos Aires, distante poucos minutos ou 7 km da capital argentina.

O local diferenciado para a partida é devido às reformas no gramado e em parte da estrutura do estádio Monumental de Nuñez, o que fez o River a mandar seus jogos na cidade vizinha. De propriedade do Club Atlético Independiente, o estádio foi inaugurado em março de 1928 – apenas quatro anos após a fundação do Athletico – inicialmente com o nome de Estádio de La Doble Visera, e foi o segundo estádio da América do Sul a ser construído em cimento – após o Estádio de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, em 1919.

Em 2006, foi remodelado e com capacidade ampliada para 53 mil pessoas. Também recebeu um novo nome: Libertadores de América, numa alusão às sete taças da Libertadores conquistadas pelo Independiente, maior vencedor da história da competição, além dos dois mundiais do clube.

No início deste ano, a diretoria do clube chegou a anunciar um projeto para renomear o local como Estádio Ricardo Enrique Bochini – uma homenagem ao maior ídolo de sua história, que defendeu o Independiente de 1972 a 1991, somando 714 partidas e 108 gols. Ele esteve presente em quatro títulos da Libertadores e dois Mundiais e também foi considerado o grande ídolo de Maradona na infância.

Outra curiosidade em torno do local é justamente o vizinho rival: em menos de 300 metros de distância do Libertadores de América está o estádio Presidente Perón, um caldeirão conhecido como El Cilindro, casa do Racing, maior rival do Independiente – para se ter uma dimensão mais real da rivalidade local, o clássico de Avellaneda, para muitos, só perde para o encontro entre Boca Juniors e River Plate.

Furacão na Argentina

Este será o oitavo jogo do Athletico no país vizinho, com apenas duas vitórias: a primeira delas justamente sobre o River Plate, na Sul-Americana de 2006, por 1 a 0, no Monumental de Nuñez; e outra diante do San Lorenzo, na Libertadores de 2017.

O Furacão também já jogou contra Vellez, Newell’s Old Boys, duas vezes contra o Boca Juniors e na decisão da Recopa do ano passado, contra o River.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Próximo treinador

Apenas para manifestar minha preocupação com relação à notícia publicada no decorrer da semana dando conta de possível interesse do Athletico na contratação de Roger…