27 dez 2020 - 20h16

Athletico vence o Vasco com propriedade e respira na tabela

O Athletico recebeu o Vasco da Gama na Arena da Baixada neste domingo, 27 de dezembro, em partida válida pela 27ª rodada do Brasileirão e venceu pelo placar de 3 a 0. Com o resultado, o Furacão alcança, ao menos temporariamente, a décima primeira posição na tabela, com 34 pontos, e abrindo 6 pontos para a zona de rebaixamento.

O jogo começou muito movimentado. Logo a um minuto da partida, o Vasco trocou passes pelo lado direito do ataque e em cruzamento forte de Neto Borges quase Vinicius consegue finalizar livre. Aos 3 minutos, em escanteio pelo lado direito do Athletico, Nikão achou Thiago Heleno livre e o defensor desperdiçou chance inacreditável cabeceando para fora na pequena área.

O Furacão se empolgou no jogo e passou a dominar as ações ofensivas. Aos 9 minutos, Richard recebeu bom passe de Nikão na entrada da área e chutou rasteiro. A bola passou perigosamente na frente do gol do goleiro Fernando Miguel, saindo para tiro de meta. Na saída de bola do Vasco, Richard subiu a marcação, roubou a bola no campo de ataque e ela sobrou para Nikão, livre, soltar um tiro de esquerda e abrir o placar na Arena da Baixada.

O gol pareceu deixar o Vasco atordoado e o Furacão seguia em cima. Aos 13 minutos, após excelente jogada coletiva pelo lado direito, Cittadini recebeu bola na grande área, mas se desequilibrou antes de finalizar.

Aos 20 minutos, lance polêmico na área do Vasco. Renato Kayzer fez jogada pela esquerda com Abner e rolou rasteiro para Carlos Eduardo, que dominou e tentou girar sobre o marcador, caindo na área. O juiz mandou seguir e não houve chamada do VAR para revisão.

Aos 29 minutos, o Vasco voltou a chegar com perigo. Em chute de longa distância de Léo Matos, a bola desviou em Marcos Junior, em posição irregular, e vai no cantinho, para boa defesa de Santos. Aos 32 minutos, o Furacão deu o troco. Em escanteio pela direita, Nikão cruzou no segundo pau e quase encontrou Thiago Heleno, sendo cortada por Neto Borges no último instante.

Aos 34 minutos, um susto: em cobrança de falta pela esquerda, Leandro Castan desviou de cabeça e a bola sobrou para Cano, livre, escorar para o gol. Mas o bandeira viu o impedimento corretamente.

Mas aos 36 foi o Athletico quem chegou, e sem dar perdão. Cittadini recebeu bola na direita, cortou para a perna esquerda e bateu. O goleiro Fernando Miguel falhou e deu rebote no pé de Carlos Eduardo, que só empurrou para o gol ampliando o placar. Após o gol, as equipes baixaram o ritmo e não houve mais lances de perigo.

No segundo tempo, o Vasco optou por tentar uma marcação mais alta e dificultou a saída de bola do Athletico nos primeiros minutos. E logo aos 4, após vacilo de Cittadini, que tentou sair driblando, o Vasco recuperou a bola no campo de ataque e German Cano recebeu passe na cara do gol, livre para marcar o que seria o primeiro gol vascaíno. Entretanto, o lance foi para revisão no VAR e foi identificado impedimento do argentino.

Aos 9 minutos o Athletico encaixou excelente contra-ataque. Nikão puxou a jogada e acionou Carlos Eduardo na esquerda. O atacante rolou para trás e após corta luz de Cittadini, o próprio Nikão chegou para concluir forte e exigir boa defesa do goleiro vascaíno. Menos de um minuto depois, Carlos Eduardo recebeu bola na entrada da área e mandou chute de direita, mais uma vez obrigando Fernando Miguel a fazer boa defesa.

Aos 15 minutos, no entanto, não houve o que o goleiro vascaíno fazer. Em bola recuperada no ataque, Nikão lançou Carlos Eduardo, que limpou e bateu rasteiro de fora da área para marcar um bonito gol.

Com o jogo praticamente resolvido, Paulo Autuori começou a promover mudanças. Kayzer e Jhonatan saíram para as entradas de Walter e Khellven.

Aos 21 minutos o Vasco teve outra boa chance. Em escanteio pelo lado direito de ataque, Werley subiu livre e quase diminuiu. A bola passou rente à trave de Santos. Aos 25, em bela jogada trabalhada, Abner encontrou Walter livre na intermediária. O centro avante bateu de primeira e quase marcou um belo gol.

Aos 29 minutos, o treinador atleticano promoveu mais duas mudanças. Lucho e Canesin entraram nos lugares de Christian e Cittadini.

Aos 32 minutos, o Vasco quase conseguiu diminuir. Em cruzamento de Neto Borges, Gustavo Torres subiu alto e cabeceou por cima do gol. Aos 37, em bola dividida pelo alto, Richard subiu e levou a pior, saindo de maca. Em seu lugar, entrou o ídolo atleticano Jadson para fazer sua reestreia com a camisa do Furacão. E aos 42 minutos, o meia atleticano deu uma arrancada sensacional pelo lado direito, chegou na linha de fundo, ergueu a cabeça e encontrou Walter na área. O atacante ajeitou de peito para Nikão, que chegou finalizando e quase marca o que seria um golaço do Furacão. Aos 48, mais uma jogada com a marca de Jadson, enfiando uma bola perfeita para Nikão, que saiu de frente para o gol e tentou dar uma cavadinha. Fernando Miguel operou milagre e manteve o placar em 3 a 0. Vitória maiúscula do Athletico, que encerra 2020 numa crescente.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Freguês sempre volta…

O jogo de ontem na Baixada merecia torcida. Se não fosse a Pandemia, seguramente teríamos 30 mil pessoas na Arena. O Athetico jogou bem, principalmente…

Fala, Atleticano

O que será amanhã?

Vendo que o Athletico aguarda só o final do Campeonato Brasileiro.. Apesar de ter jogos ainda por realizar, a postura do time nas partidas, diz…

Fala, Atleticano

Acarajé pesado

Fomos para a Bahia, desfalcados enfrentar o time desesperado do Bahia, precisando ganhar para sair um pouco da “fila da Zona”… Fomos com LE improvisado,…