História
Construção
Artilheiros
Top 10

Após o Atlético completar 200 jogos realizados na Arena da Baixada desde sua inauguração em 1999 no amistoso contra o Cerro Porteño, a Furacao.com realizou uma pesquisa com 35 torcedores apaixonados pelo Furacão e com grande grau de afinidade com as cores rubro-negras. Cada julgador escolheu dez partidas, em ordem de importância. O primeiro de cada lista recebeu 10 pontos, o segundo recebeu 9 e assim por diante até o décimo, que recebeu um ponto. A lista final é resultado da soma dos pontos de todos os jogos.

1. Atlético 4 x 2 São Caetano - 16.12.2001 - Campeonato Brasileiro

O primeiro parágrafo da reportagem deste jogo da Furacao.com descreve bem sua importância: "Dezesseis de dezembro de 2001. Este dia já entrou para a história do Clube Atlético Paranaense. Foi nesta data que o time jogou uma de suas mais memoráveis partidas". O que dizer da primeira final de Brasileiro da história do clube? A relevância da partida já seria suficiente para colocá-la como a mais importante da história da Arena. Porém, o jogo também foi extraordinário tecnicamente e emocionante. Some-se a isso o recorde de público do estádio e estaremos diante de uma partida perfeita. Logo aos 4 minutos, Ilan - substituto de Kléber - abriu o marcador, para explosão da torcida. O São Caetano empatou aos 32 e virou aos 8 do segundo tempo. Sessenta segundos de desespero. Foi esse o período no qual o Atlético esteve em desvantagem no marcador, até que Alex Mineiro voltasse a empatar. Depois, o show foi seu: marcou mais dois, sendo o quarto aos 45, deixando o Furacão próximo do título. Nunca o atleticano foi tão feliz.

Quem jogou: Flávio; Alessandro, Gustavo, Nem, Rogério Côrrea e Fabiano (Igor); Cocito, Kleberson e Adriano; Alex Mineiro e Ilan (Souza). Técnico: Geninho.


2. Atlético 3 x 2 Fluminense - 09.12.2001 - Campeonato Brasileiro
Quatro dias depois de eliminar o São Paulo, o Atlético voltou a campo para pegar o Fluminense, pela semifinal do Brasileiro. A Arena ficou completamente lotada e a torcida presenciou um jogo muito tenso. Magno Alves marcou primeiro para os cariocas, no final do primeiro tempo, mas Alex Mineiro virou na etapa final, aos 3 e aos 24 minutos. Aos 29, porém, Magno voltou a empatar o jogo. Seria o fim do sonho? Não. Aquele time era predestinado. Aos 44, o herói Alex pegou a bola na ponta direita, carregou para o centro do campo, ajeitou e chutou de fora da área, marcando o gol da vitória.

Quem jogou: Flávio; Alessandro, Gustavo, Nem, Rogério Corrêa e Fabiano; Cocito, Kleberson e Adriano; Alex Mineiro (Igor) e Kléber (Ilan). Técnico: Geninho.

3. Atlético 3 x 2 Santos - 01.06.2005 - Copa Libertadores
Numa partida heróica, os guerreiros rubro-negros conquistaram uma vitória suada sobre o Santos de Ricardinho e Robinho, xodó da imprensa brasileira. Mesmo saindo atrás do placar e com um jogador a menos devido à expulsão de Alan Bahia, o Atlético teve forças para virar e ganhar por 3 a 2, dando um importante passo à semifinal da Copa Libertadores da América. A partida ficou marcada na mente dos atleticanos pela raça do defensor Marcão, que mesmo com cãibras lutou até o final para garantir a vitória rubro-negra.

Quem jogou: Diego; Jancarlos (Fabrício), Danilo, Durval e Marcão; Cocito, Alan Bahia, Leandro (André Rocha) e Evandro; Lima e Aloísio (Cléo). Técnico: Antonio Lopes.

4. Atlético 5 x 2 São Caetano - 05.12.2004 - Campeonato Brasileiro
O Atlético liderava o Campeonato Brasileiro de 2004 e havia tropeçado contra o Grêmio na rodada anterior ao ceder o empate de 3 a 3. Então, a necessidade de vitória era fundamental para a conquista do título. O São Caetano saiu na frente e durante o intervalo muitos imaginavam a liderança indo embora. Porém, com dois gols de Denis Marques, dois de Jadson e um do artilheiro Washington o Furacão virou a partida para 5 a 2. No entanto, a poucos minutos do fim o resultado ainda era de 3 a 2, o que fez muitos atleticanos lembrarem com muito receio o jogo contra o tricolor gaúcho. Com a primeira posição na competição, o time tinha duas rodadas para manter o primeiro lugar e conquistar o título. Infelizmente, quis o destino que o final fosse diferente, mas até hoje muitos relembram com muita emoção esse jogo eletrizante.

Quem jogou: Diego; Fernandinho, Marinho, Rogério Corrêa, Marcão e Ivan (Raulen); Alan Bahia, Pingo e Jadson (William); Washington e Denis Marques (Anderson Aquino). Técnico: Levir Culpi.

5. Atlético 3 x 0 Chivas - 23.06.2005 - Copa Libertadores

A torcida atleticana mal acreditava na classificação para a semifinal da Copa Libertadores. Pela primeira vez o Furacão enfrentava um time mexicano, um dos mais fortes da competição, mas para sorte do rubro-negro estava com alguns desfalques convocados para a Seleção mexicana. Os jogadores atleticanos não quiseram nem saber, partiram com tudo para cima do Chivas e conseguiram uma excelente vitória por 3 a 0. O primeiro passo para a final da Libertadores havia sido dado com apoio incondicional da torcida rubro-negra.

Quem jogou: Diego; Jancarlos, Danilo, Durval e Marcão; Cocito, André Rocha, Fabrício e Fernandinho (Ticão); Lima (Jorge Henrique) e Aloísio. Técnico: Antonio Lopes.


6. Atlético 2 x 1 São Paulo - 05.12.2001 - Campeonato Brasileiro
Novamente, a descrição da Furacao.com é significativa: "Quem compareceu à Arena da Baixada torceu, vibrou e se emocionou como nunca num dos melhores jogos já realizados neste Campeonato Brasileiro". Este foi um dos jogos mais emocionantes já realizados no Joaquim Américo. Depois de marcar o primeiro com Kléber, o Atlético sofreu o empate com um gol de Adriano. Aos 38 minutos, Gustavo foi para o ataque, tabelou com Adriano e a bola sobrou para Alex Mineiro garantir a classificação para a semifinal.

Quem jogou: Flávio; Alessandro, Gustavo, Nem, Rogério Corrêa e Fabiano; Cocito (Pires), Kleberson e Adriano; Alex Mineiro e Kléber (Leonardo). Técnico: Geninho.

7. Atlético 3 x 0 Cruzeiro - 18.12.1999 - Seletiva para a Libertadores
A primeira final na Arena da Baixada a gente nunca esquece. Depois de uma brilhante campanha na Seletiva, o Atlético tinha diante de si na final o adversário mais temido: o Cruzeiro, dono da melhor campanha da primeira fase do Brasileirão 99. O jogo foi tenso, mas o Furacão não decepcionou sua torcida. O time mineiro não foi páreo para o jovem Lucas, de 20 anos. Com três gols, o artilheiro detonou o adversário e o Atlético deu o passo mais importante para conquistar a vaga para a Libertadores.

Quem jogou: Flávio; Alberto, Gustavo, Leonardo e Vanin; Axel, Fabiano (Marcão), Adriano e Kelly (Kleberson); Lucas e Kléber (Sandoval). Técnico: Vadão.

8. Atlético 2 x 1 Cerro Porteño - 24.06.1999 - Amistoso

Esta partida certamente não foi uma das melhores, mas merece seu lugar na lista das mais importantes. Foi o primeiro jogo disputado no solo da Arena da Baixada. A festa antes do jogo, o clima da partida, tudo contribuiu para tornar esse jogo histórico. Dezesseis jogadores tiveram a honra de vestir a camisa do Atlético na primeira vez que o clube jogou no novo estádio (incluindo ídolos como Flávio, Gustavo, Kléber, Adriano, Lucas, Kelly e Kleberson). Lucas marcou o primeiro gol da Arena e Vanin foi o autor do gol da vitória, em um belo chute de fora da área.

Quem jogou: Flávio; Luisinho Netto (Alberto), Marcão, Gustavo (Douglas) e Vanin; Clóvis, Renato (Kléber), Ricardo (Sídney) e Adriano (Kleberson); Lucas e Kelly. Técnico: Antônio Clemente.


9. Atlético 1 x 1 Coritiba - 17.06.2000 - Campeonato Paranaense
Conquistar um título em cima do Coritiba em plena Arena da Baixada com um gol marcado no finalzinho do jogo. Isso resume o que foi essa partida. Depois de uma campanha brilhante, o Atlético entrou em campo precisando somente de um empate para ser campeão paranaense. Apesar da superioridade, o rubro-negro sofreu o primeiro gol no começo do segundo tempo. Aos 35 minutos, o zagueiro Gustavo aproveitou o escanteio da direita e cabeceou para o fundo das redes. Ele foi expulso na comemoração, mas nem isso estragou a festa da torcida rubro-negra.

Quem jogou: Flávio; Luisinho Netto, Gustavo, Reginaldo e Jorginho (Gílson Batata); Goiano (Silvinho), Marcus Vinícius, Adriano e Kelly (Silas); Lucas e Kléber. Técnico: Vadão.

10. Atlético 5 x 4 Cruzeiro - 06.08.2005 - Campeonato Brasileiro
Esta partida teve emoção do início ao fim. Antes de completar o primeiro minuto de jogo o Atlético já tinha um pênalti a seu favor. O Rubro-negro chegou a abrir uma boa vantagem sobre o Cruzeiro, porém os mineiros não desistiram e lutaram até o final, chegando a empatar a partida em 4 a 4. No entanto, o jovem atacante Schumacher entrou nos minutos finais para mudar o resultado. Aos 45 minutos ele aproveitou a bobeira da zaga cruzeirenze e fez 5 a 4 para o Furacão. A galera atleticana explodiu de alegria, mas só pôde comemorar em definitivo no apito final do árbitro.

Quem jogou: Diego; Jancarlos, Danilo, Paulo André e Marcão; Cocito (André Rocha), Alan Bahia (Ticão), Fabrício e Evandro; Ferreira (Schumacher) e Finazzi. Técnico: Antonio Lopes.

Quem participou:
Alexandre Richter, Bruno Rolim, Cahuê Miranda, Clemente Neto, Cleverson Freitas, Doático Santos, Eduardo Aguiar, Eduardo Arcie, Fábio Kaiut, Fernanda Santos, Francisco Vargas, Gonzalo Gomes Claure, Guilherme Joel, Joaquim Nicolas Vidal, Juarez Villela Filho, Juliano Ribas, Marçal Justen Neto, Marcel Costa, Maycon Luz, Monique Silva, Nadja Mauad, Pablo Miranda, Patricia Bahr, Renata Mateus, Ricardo Campelo, Roberto Karam, Robson De Lazzari, Rodrigo Toaldo, Rogério Andrade, Sergio Siqueira, Sérgio Tavares Filho, Silvio Rauth Filho, Tatiana Ribeiro, Thiago Caetano, Yuri Junior.

Clique aqui para ver a pontuação geral.

 
Últimas Notícias