2002 - O Supercampeão Paranaense

Em um campeonato inovador, onde os times do interior tinham que disputar vagas para enfrentar os já classificados times da capital em um quadrangular final, o Atlético conquistou seu título em apenas 18 dias. É isso mesmo, o Supercampeonato Paranaense começou em 15 de maio e terminou em 2 de junho, quando o rubro-negro passou pelo Paraná Clube em dois jogos eletrizantes.

O começo foi marcado pelo ‘fico' de Geninho, que pela derrota na Copa Sul-Minas e maus resultados na Libertadores estava pensando em deixar o comando do time. Outro problema enfrentado foram os desfalques de jogadores devido à convocações para a Seleção Brasileira. Dois dos principais jogadores atleticanos desfalcaram o time na primeira rodada. Kleberson, na Seleção principal e Dagoberto, na Sub-20 não estiveram em campo na estréia vitoriosa diante do Grêmio Maringá.

Para o Atletiba, na rodada seguinte, muitas provocações foram feitas e com muita briga dentro e fora do estádio, o time acabou derrotado no Couto Pereira. O tropeço na casa do rival, as especulações sobre uma possível transferência do meia Kleberson e a demissão do técnico Geninho pela diretoria ameaçavam a paz no CT do Caju. Mas parece que nada disso abalou a vontade dos jogadores em vencer. Como técnico interino, Riva assumiu o time faltando uma partida para o término da primeira fase e conquistou um bom resultado, que garantiu ao time o primeiro lugar do grupo e uma vaga na semifinal.

Com a vantagem do empate diante do Iraty, o rubro-negro não fez muito para mudar o placar. Vaias foram ouvidas e faixas na Arena foram vistas, pedindo a volta do técnico Geninho. Mesmo assim, o time estava classificado para a final e, da outra semifinal vinha o Paraná Clube, que havia empatado com o Coritiba e ficou com a vantagem de decidir o título na Vila Capanema.

Por ter que jogar a primeira partida em casa, o pensamento atleticano era a conquista da vantagem no primeiro jogo para não precisar correr atrás do resultado na casa adversária e, foi exatamente o que aconteceu. O Atlético goleou o Paraná Clube e já poderia ir mais tranqüilo à Vila. O destaque da partida foi o atacante Kleber, que em sua volta marcou quatro gols e tornou-se artilheiro. Para a torcida o estádio adversário já estaria pintado de vermelho e preto, comemorando o título.

Tricampeonato Inédito

O Paraná tinha a vantagem de dois empates, mas não conseguiu segurar o Atlético em plena Arena da Baixada. O Furacão goleou o adversário e reverteu a vantagem, com quatro gols do incendiário Kleber. Na segunda partida, o tricolor da Vila Capanema teria que jogar por uma diferença de 5 gols.

O começo do jogo foi quente, mas no primeiro tempo o placar terminou apertado, dois a um para o rubro-negro. Os dois primeiros gols foram do atacante Kleber, o primeiro de falta e o segundo de um chute no ângulo. As falhas da arbitragem foram motivo de muita reclamação no intervalo, o bandeirinha anulou um gol atleticano e o árbitro deixou de marcar duas penalidades para os paranistas.

Demorou um pouco, mas a torcida atleticana presente na Arena pôde comemorar mais quatro gols. Em um minuto, Fabiano e Kleber ampliaram o placar para desespero tricolor, que via o título escorrendo em suas mãos. Diferente do campeonato todo, e para a alegria da torcida, Kleber e Alex Mineiro estavam em uma tarde inspirada e fecharam o placar. Os jogadores preferiram não comemorar o título ainda, mas a fanática torcida rubro-negra já desfilava pela cidade com faixas.

Final - Paranaense - (30/05/2002) - Atlético 6 x 1 Paraná Clube
L:
Baixada; A: Francisco Carlos Vieira; G: Kléber, aos 9, aos 22 e Alexandre, aos 43 do 1º; Fabiano, aos 22, Kléber, aos 24, aos 33 e Alex Mineiro, aos 47 do 2°.

ATLÉTICO: Flávio; Alessandro, Gustavo, Igor e Fabiano (Luisinho Netto); Cocito, Flávio Luís e Rodriguinho (Reginaldo Vital); Alex Mineiro, Adauto (Donizete Amorim) e Kléber. Técnico: Riva.

PARANÁ CLUBE
: Neneca; Luís Paulo, Xandão (Goiano), Ageu e Fabinho; Hélcio, César Romero, Marquinhos e Alexandre; Luciano (Márcio) e Maurílio (Leandro Alves). Técnico: Caio Júnior.

A Campanha

6 jogos: 3 vitórias / 1 empate / 2 derrotas / 14 GP / 6 GC

1ª Fase:
16/05 – Atlético 4 x 0 Grêmio Maringá
19/05 – Coritiba 1 x 0 Atlético
22/05 – Atlético 3 x 0 Prudentópolis

Semifinal
25/05 – Atlético 0 x 0 Iraty

Final
1º Jogo
30/05 – Atlético 6 x 1 Paraná Clube

2º Jogo
02/06 – Paraná Clube 4 x 1 Atlético

Artilheiros:
Kleber – 5 gols
Alex Mineiro, Adriano e Reginaldo Vital – 2 gols
Fabiano, Flávio Luís e Alessandro – 1 gol

Personagens

Kléber: o artilheiro amargou algum tempo na reserva mas, quando entrou, no primeiro jogo da final, resolveu a partida marcando quatro dos seis gols do time. Marcou ainda o gol salvador no último jogo da final.

Dagoberto: o paranaense começou a despontar em cenário nacional e a chamar a atenção para seu futebol com belas jogadas e dribles.

 
Últimas Notícias