2016 - Campeão com show na final

O Atlético conquistou seu 23º título do Campeonato Paranaense em 2016. A equipe começou bem a competição, enfrentou momentos de dificuldade, mas cresceu nas fases decisivas, superando Londrina, Paraná Clube e Coritiba. A final foi um show à parte: o Furacão venceu o Coxa por 3 a 0 na Arena da Baixada e 2 a 0 no Couto Pereira, voltando a erguer o troféu no estádio do rival depois de 26 anos.

O Atlético varreu o Coxa na final e comemorou mais uma taça [foto: FURACAO.COM/Joka Madruga]


A conquista igualou a disputa com o Coritiba em finais Atletiba. Com a vitória rubro-negra em 2016, cada clube passa a ter oito conquistas nas 16 disputas ocorridas até aqui.

Último jogo: quem manda nesta cidade sou eu!

Após ter goleado o Coritiba por 3 a 0 na primeira partida das finais, na Arena da Baixada, o Atlético entrou em campo no domingo seguinte, no Couto Pereira, com a missão de manter a vantagem para poder, enfim, gritar “CAMPEÃO”. E gritou! Com gols de Walter e Ewandro, o Furacão fez 2 a 0 e encerrou o incômodo jejum de títulos.

Foi de lavar a alma. Mesmo com a pressão inicial do alviverde, que se lançou desesperado ao ataque, o time de Paulo Autuori permaneceu tranquilo e, com inteligência, matou o jogo ainda no primeiro tempo. Depois de perder uma grande oportunidade aos 23 minutos, Walter aproveitou um rebote aos 29 e não perdoou, mandando para o fundo das redes e calando a torcida rival. E para sacramentar de vez o massacre atleticano, no último lance da primeira etapa o camisa 18 passou como quis pelo defensor alviverde e tocou para Ewandro marcar o segundo.

Com a magnífica vantagem já conquistada, no segundo tempo o técnico rubro-negro resolveu mexer no time. Tirou Léo, que já tinha cartão amarelo, para a entrada de Eduardo. Depois, sacou Walter para dar uma oportunidade a André Lima. Por fim, colocou Marcos Guilherme no lugar de Ewandro. As alterações não mudaram a forma do time jogar, nem fragilizaram a equipe, que seguiu melhor em campo e buscando o contra-ataque para matar o jogo contra um Coritiba nervoso e desorganizado.

Foram, enfim, dois jogos de um time só. O Atlético disputou as finais do Campeonato Paranaense como um verdadeiro campeão, dominando amplamente o Coritiba em ambos os confrontos e mostrando a velha raça rubro-negra. Somando a disposição e organização da equipe ao apoio incondicional da torcida, o resultado não poderia ser outro. Torcedor atleticano, pode gritar: O FURACÃO É CAMPEÃO!

Campeonato Paranaense - (08/05/2016) - Coritiba 0 x 2 Atlético
L:
Couto Pereira; A: Edivaldo Elias da Silva (PR); CA: Otávio, Nikão, Léo, Weverton, Alan Santos, Ruy e Vinícius; P: 22.939; R: R$ 912.960,00; G: Walter, aos 29, e Ewandro, aos 50 do 1º.

CORITIBA: Elisson; Reginaldo (Thiago Lopes 67’), Luccas Claro, Juninho e Carlinhos; Alan Santos, João Paulo e Ruy; Negueba (Vinicius int), Kleber e Leandro (Ortega 60’). Técnico: Gilson Kleina.

ATLÉTICO: Weverton; Léo (Eduardo int), Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Jadson, Otávio, Nikão, Pablo e Ewandro (Marcos Guilherme 65’); Walter (André Lima 50’). Técnico: Paulo Autuori.

Campanha

17 jogos: 8 vitórias / 5 empates / 4 derrotas / 25 gols pró / 14 gols contra

Primeira fase:
31/01/16 - Operário 0 x 2 Atlético
03/02/16 - Atlético 1 x 0 Maringá
10/02/16 - Rio Branco 1 x 2 Atlético
13/02/16 - Atlético 0 x 0 J. Malucelli
21/02/16 - Cascavel 2 x 2 Atlético
28/02/16 - Paraná 1 x 0 Atlético
03/03/16 - Atlético 1 x 1 Foz do Iguaçu
06/03/16 - Londrina 1 x 1 Atlético
12/03/16 - Atlético 4 x 0 PSTC
20/03/16 - Atlético 0 x 2 Coritiba
27/03/16 - Toledo 3 x 2 Atlético

Quartas-de-final:
03/04/16 - Londrina 1 x 1 Atlético
10/04/16 - Atlético 2 x 0 Londrina

Semifinal:
16/04/16 - Atlético 2 x 1 Paraná
24/04/16 - Paraná 1 (2) x (4) 0 Atlético

Final:
01/05/16 - Atlético 3 x 0 Coritiba
08/05/16 - Coritiba 0 x 2 Atlético

Artilheiros
5 gols - André Lima
3 gols - Deivid e Vinícius
2 gols - Ewandro
1 gol - Anderson Lopes, Vilches, Crysan, Giovanny, Hernani, Jadson, Marcos Guilherme, Nikão, Pablo, Thiago Heleno e Walter
gol contra - Tayron (PSTC)

Personagens

Thiago Heleno: o zagueiro ganhou a titularidade ao longo da competição e se tornou uma das figuras principais. Nas duas partidas da final contra o Coritiba, brilhou na marcação e também no ataque, marcando o primeiro gol na Arena.

Walter: ídolo da torcida, passou o campeonato todo lutando contra o incômodo jejum de gols. A redenção veio em grande estilo, justamente na final. Marcou o gol que abriu caminho para vitória no Couto Pereira e fez uma linda jogada no segundo gol, sendo o melhor em campo no jogo do título.

Weverton: em seu quinto ano de clube, finalmente ergueu a primeira taça de campeão, registrando seu nome na história do Atlético. Durante o campeonato, foi decisivo com suas defesas e liderança.

 
Últimas Notícias