4 jun 2001 - 17h03

O novo, o velho e bom gostinho de ser campeão

O meia Kleberson é um dos três jogadores que estavam na equipe campeã em 2000. O zagueiro Igor ingressou na equipe principal este ano. A semelhança eles?? A vibração. A alegria. A paixão pelo rubro-negro. “Pra mim foi uma conquista muito grande, porque tive que trabalhar pesado e mostrar a cada jogo para todos que tenho condição de ser titular. É um mérito muito grande. Colocamos o coração na chuteira e acreditamos do começo ao fim de que tínhamos condições de levar o titulo.”, disse Igor. Kleberson, titular absoluto, valorizou a conquista da mesma maneira. “Essa final foi muito empolgante para ambas as equipes. Nossa equipe soube suportar a pressão do Paraná soubemos jogar pela vantagem e conseguimos o resultado.”.



Últimas Notícias

Opinião

Passo a passo

O mundo anda acelerado demais. Era um processo que já vínhamos passando mas parece que se acelerou no período pós pandemia, pois todo mundo parece…

Brasileiro

Empate com gosto amargo

Na última partida do domingo (18), Athletico e Cuiabá se enfrentaram pela 27ª rodada do Brasileirão no Joaquim Américo diante de pouco mais de 17…