27 ago 2001 - 18h11

Atlético deve recorrer à justiça contra o Vasco

O presidente do Atlético, Marcus Coelho, disse nesta segunda-feira que o clube vai entrar com uma ação judicial contra o Vasco da Gama e sua diretoria pelas arbitrariedades ocorridas no último domingo no estádio de São Januário. “Estamos estudando a melhor forma para que sejamos devidamente reparados pelos prejuízos ocorridos. Não vamos aceitar passivamente o resultado da partida”, declarou Coelho. A ação está sendo preparada e deve ser impetrada até o final desta semana. Segundo o diretor de futebol, Samir Haidar, as circunstâncias a que o time do Atlético foi submetido mostram a irresponsabilidade da diretoria do Vasco da Gama. “A situação estava armada desde antes do jogo. Ouvi o sr. Eurico Miranda ameaçar o árbitro Wilson de Souza Mendonça para ter a certeza de que a partida só começaria após as 15h. Ele disse claramente que as consequências para ele (árbitro) seriam graves se o jogo começasse antes”, afirmou. Haidar, que estava acompanhando o time, disse que, além da conivência do árbitro, o Atlético ficou refém de toda a diretoria e seguranças do Vasco. “Chegaram ao cúmulo de nos trancar no vestiário, impedindo a nossa entrada em campo. E quando entramos, o campo foi invadido. Isto não pode ocorrer”. Segundo Haidar, estas circustâncias acabaram por desestabilizar emocionalmente o grupo. “Estávamos com cinco jogadores com idades variando entre 17 e 18 anos, estreantes numa partida como a do Vasco. Tudo contribuiu para que perdêssemos o jogo”, disse. Ele assegurou, entretanto, que a derrota não vai trazer prejuízo ao técnico Mário Sergio. “O Mário Sérgio tem contrato por um ano e assim será mantido”, declarou.



Últimas Notícias