2 out 2001 - 21h01

Reencontro com o sucesso

Alessandro conversou pelo telefone com a equipe Furacao.com. O lateral-direito preparava-se para uma palestra com a comissão técnica do Atlético e gentilmente cedeu alguns minutos para contar as novidades do rubro-negro direto de Recife.

Furacao.com – O Atlético conseguiu um excelente resultado no Rio de Janeiro, contra o Botafogo. Agora a esperança da torcida é que o time consiga mais uma vitória fora de casa. É este o pensamento dos jogadores?

Alessandro – Sem dúvida. A nossa equipe jogou muito bem contra o Botafogo e conseguiu dominar a partida durante todo o segundo tempo. Nós estamos aqui em Recife para conquistar mais uma vitória e voltar com os seis pontos para casa.

Furacao.com – O que mudou com a chegada do Geninho ao Atlético? O ambiente melhorou ou continua da mesma maneira que antes?

Alessandro – O ambiente com o Mário Sérgio não era ruim. Era muito bom. O que complicou foram aquelas declarações que ele deu quando foi demitido. Com o Geninho é tranqüilo. Ele vem passando toda a confiança desde que chegou, naquela partida contra a Portuguesa. Graças a Deus todo mundo vem fazendo o trabalho com seriedade.

Furacao.com – As suas últimas exibições com a camisa do Atlético devolveram toda confiança e você voltou a apresentar aquele bom futebol de quando foi revelado pelo Antonio Lopes. A quem você atribui essa nova fase? O esquema do Mário Sérgio era confuso?

Alessandro – O Mário Sérgio pedia que eu jogasse mais no meio-campo, como um ala. Aquele setor era muito congestionado e eu não tinha liberdade para correr pela lateral, como é de meu costume. Eu também vinha passando por problemas particulares e não rendia o que a torcida esperava. Com o Geninho estou jogando na posição que gosto, que é na própria lateral. Com muito trabalho, eu estou conseguindo voltar a dar alegrias.

Furacao.com – E a sua relação com a torcida do Atlético? Como você se sente em sair de campo às vezes vaiado e às vezes exaltado pelos torcedores?

Alessandro – É sempre assim. Os jogadores de futebol têm que se acostumar com isso. Claro que ninguém gosta de ser vaiado e xingado pelos torcedores, mas é bom receber o carinho que a nossa maravilhosa torcida dá para a gente.

Furacao.com – A Seleção Brasileira está treinando no CT do Caju. Você não está se sentindo frustrado de não estar participando do grupo?

Alessandro – De maneira nenhuma. O professor Luis Felipe deixou bem claro na última conversa que tivemos que o grupo da Seleção é de trinta e cinco jogadores. Eu fiquei um pouco magoado porque tinha esperanças de ser convocado depois daquela partida contra o Corinthians, mas infelizmente não aconteceu. Eu estou torcendo para quem está representando o Brasil conseguir os três pontos e a classificação.



Últimas Notícias