14 mar 2002 - 23h20

Fabrício quer mostrar o seu valor

Desde o final de janeiro no Atlético Paranaense, o meia-esquerda Fabrício, 22 anos, veio do América Mineiro com um único objetivo: mostrar o seu valor para a torcida atleticana e para o técnico e assim conquistar um lugar entre os titulares. Até agora Fabrício jogou seis partidas, dentre as 11 que o Atlético fez desde a sua chegada (sendo apenas duas como titular).

Sua estréia foi contra o Mamoré. O Rubro-Negro venceu por 3 a 0 e Fabrício deixou sua marca cobrando uma falta (sua principal característica). “Foi um lance muito oportuno e fiquei bastante contente de logo no meu primeiro jogo poder marcar e ajudar o Atlético a vencer”, falou Fabrício que, dos 26 gols já marcados na sua carreira, 15 foram em cobranças de falta.

Nem mesmo a atual fase conturbada pela qual vive o Atlético intimida o jogador a estar entre os preferidos do treinador. “Sou um jogador novo mas não sou inexperiente. Passei por dificuldades semelhantes no América e ajudei a equipe a se superar, por isso acredito que também posso ajudar o time a sair dessa”, disse. Ele lembra que a ausência de Adriano diante do Olmedo (na próxima terça-feira) pela Libertadores de América pode ser a sua chance de se firmar na equipe. “Se for chamado pelo Geninho, vou dar o melhor de mim”. Sua última partida foi contra o Coritiba, na vitória atleticana por 2 a 0.

Para ele, uma das dificuldades para a sua afirmação entre os titulares é a existência de dois bons meias (Kléberson e Adriano) que o Atlético tem hoje. “O Kléberson é jogador da seleção brasileira e o Adriano é bastante técnico, mas isso não me intimida, ao contrário, me estimula a treinar mais e mais”, afirmou o jogador.

Mineiro de Divinópolis, ele ainda está se adaptando à capital paranaense. Fabrício mudou-se sozinho para Belo Horizonte aos 13 anos e ficou morando na concentração do América até se profissionalizar aos 18 anos. “Curitiba é uma cidade muito bonita e estou adorando morar aqui. Estranho um pouco a relação com o torcedor e com a imprensa, já que em Belo Horizonte eu era bastante conhecido pelo destaque que tinha como jogador do América”.

Em apenas quatro anos anos como profissional, Fabrício ganhou vários prêmios. Em 1999, o Prêmio Rede Globo de melhor lateral-esquerdo do Campeonato Mineiro e o Troféu Cafunga (revelação do estadual de Minas). Em 2000 foi considerado o melhor lateral-esquerdo do Campeonato Mineiro e, em 2001, recebeu o Prêmio Rede Globo desta vez como o melhor meia-esquerda do Campeonato Mineiro. No mesmo ano foi eleito o melhor meia-esquerda e craque do Campeonato Mineiro.

Números de Fabrício no Atlético Paranaense

Jogos Sul-Minas: 4
Gols: 1
Cartão amarelo:1
Cartão vermelho: nenhum

Jogos Libertadores: 2
Gols: nenhum
Cartão amarelo: nenhum
Cartão vermelho: nenhum

Fonte: Fd assessoria



Últimas Notícias

Brasileiro

Libertadores, estamos chegando!

Na Arena da Baixada, o Athletico enfrentou o Botafogo pela última rodada do Campeonato Brasileiro de 2022. Dependendo somente das suas forças para garantir presença…