30 maio 2002 - 17h50

PRIMEIRO SET: 6/1

Parecia o Campeonato Brasileiro de 2001. O Atlético passeou em campo e meteu 6 x 1 no Paraná, maior goleada sofrida pelo tricolor em toda a sua história. Foi a primeira vez que o Paraná Clube sofreu tantos gols desde que foi fundado, em 1989. O jogo também marcou a virada do Atlético sobre o Paraná em números de clássicos vencidos.

Com esse resultado, o Atlético pode até perder por quatro gols no jogo de volta, no domingo, que garantirá o título de tricampeão paranaense.

Quando o time entrou em campo, uma surpresa para a torcida: Riva havia escalado três atacantes e somente dois zagueiros. Com Adauto, Kléber e Alex Mineiro, o Furacão atropletou o Paraná, que não conseguiu parar o destruidor ataque rubro-negro.

O primeiro gol saiu aos 10 minutos de jogo. Kléber, jogando com a camisa 10, bateu com extrema categoria e meteu no ângulo do goleiro Neneca, que sofreu seu primeiro gol no campeonato. O Atlético continuou pressionando. Adauto atuava como um ponta-esquerda, aproveitando o espaço deixado pelo lateral-direito Luís Paulo. Aos 20 minutos, Adauto tocou de calcanhar para Kléber, que avançou com a bola até à área adversária e mandou uma bomba, no ângulo superior direito do goleiro paranista, marcando um golaço, para explosão da torcida atleticana.

Ainda no primeiro tempo, o técnico Caio Júnior substituiu o zagueiro Xandão, machucado, pelo volante Goiano. O meia Rodrigo também saiu no finalzinho, dando lugar a Reginaldo Vital. O Atlético chegou a fazer o terceiro gol na primeira etapa.

Fabiano cobrou uma falta no travessão e Adauto, no rebote, cabeceou para o gol. A bola pegou na trave, mas depois ultrapassou a linha. O árbitro Francisco Carlos Vieira marcou um impedimento inexistente e anulou o terceiro gol atleticano. Logo depois, o Paraná foi para frente e diminuiu através de Luciano, aos 43 minutos.

No segundo tempo, o Atlético terminou o serviço. Em linda jogada de contra-ataque, Alex Mineiro ajeitou para Reginaldo Vital, que deixou Fabiano na cara do gol. O lateral-esquerdo bateu forte e rasteiro, marcando um gol que fez a torcida lembrar do uruguaio Ghiggia na Copa de 50.

Um minuto depois, Kléber continuou seu show particular. Ele roubou uma bola no ataque atleticano, deu lindos dribles na defesa e bateu na saída de Neneca. Outro golaço do camisa 10 atleticano.

Aos 30 minutos, Alex Mineiro puxou o contra-ataque e soube o momento ideal para tocar para o artilheiro Kléber, que entrou com tudo e meteu seu quarto gol. Os oito mil torcedores que foram à Arena foram à loucura. O time voava em campo e a torcida fazia a festa na arquibancada.

Aos 47 minutos, foi a vez do craque Alex Mineiro deixar sua marca. Ele recebeu passe pelo lado esquerdo e teve calma e categoria para deslocar Neneca e marcar o sexto gol, mostrando a inconteste superioridade do Atlético.

ATLÉTICO
Flávio; Alessandro, Gustavo, Igor e Fabiano (Luisinho Neto); Cocito, Flávio Luís e Rodriguinho (Reginaldo Vital); Adauto (Donizete Amorim), Alex Mineiro e Kléber. Técnico: Riva.

PARANÁ CLUBE
Neneca; Luís Paulo, Ageu, Xandão (Goiano) e Fabinho; Hélcio, César Romero, Marquinhos e Alexandre; Maurílio (Leandro Alves) e Luciano (Márcio). Técnico: Caio Júnior.

Local: Arena da Baixada
Público: cerca de 7.500 pagantes
Árbitro: Francisco Carlos Vieira
Cartões amarelos: Gustavo, Alessandro, César Romero, Alexandre e Maurílio.

Fotos: Valterci Santos (Gazeta do Povo).



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…