5 set 2002 - 0h10

Kléber para Deus: “Por quê”?

O artilheiro Kléber passou a noite em branco. Ele fez de tudo: cabeceou, deu importantes passes, chutou duas bolas na trave e chegou até a conversar com Deus.

Num dos chutes que pegou na trave de Carlos Germano, Kléber olhou para cima, abriu os braços e ficou perguntando para cima: “Por quê?”

Deixe, Kléber. Fortes emoções ainda estão por vir e a torcida atleticana confia em você.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…