19 set 2002 - 9h58

Opinião: ” hora de mudanças”

Até mesmo por questões familiares, tenho bastante cuidado em fazer análises de treinadores. O “professor” não tem culpa quando um jogador treina bem, mas não consegue jogar nada. Ou quando não cumpre suas funções táticas dentro de campo. Ou mesmo quando o atleta sequer consegue acertar um passe de três metros em linha reta.

Mas Valdir Espinosa anda exagerando na dose! O Atlético irresistível, rápido, lépido e fogoso, deu lugar a um time burocrático, previsível e marcável. Bastou chegar junto em Adriano, Fabiano ou ver as péssimas atuações de Kléberson, para cair a máscara. Frente o Gama, o Atlético não apresentou nada, absolutamente nada. Dago e Kléber foram heróis, pois todas as jogadas de ataque partiram de suas individualidades.

E fazer o que ele fez com o Rodrigo tem um nome : sacanagem! Faltando pouco mais de cinco minutos, tirar o jogador e ainda por cima colocar Rogério Souza, foi queimar o garoto! Se Rodrigo não estava conseguindo dar uma resposta positiva ao que queria Espinosa, com toda certeza não seria Rogério que conseguiria!

Hora de abrir os olhos, admitir erros e repensar conceitos. Logo estaremos chegando a metade do campeonato e o Atlético precisa decidir o que quer da vida. E como falou o capitão Kléber:”tem jogador que está de brincadeira”.

E brincadeira tem hora!

Juarez Villela Filho
colunistas@furacao.com



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…