O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
22 set 2002 - 11h23

Lembranças de um eterno Furacão…

Ser atleticano, é uma paixão, um momento da vida
inesquecível, é como acordar dar bom dia e pensar “hoje
tem jogo, Arena ai vou eu …..”. Morei em Curitiba desde
meus 3 anos e meio de idade, vim de Santa Catarina junto
com toda a minha família, comecei a torcer para o
Atlético em 30/09/1967 , no pescoço do meu pai,(Atlético
contra União de Bandeirantes, quando a Baixada ainda
tinha tijolo a vista) que estava nervoso por que
ainda estava zero a zero, (seu Osny obrigado por ter me
feito um atleticano de verdade) quando em agosto de
2000 resolvemos vir para os Estados Unidos. Eu, minha
esposa e meus três filhos.

Nunca havia imaginado que o
Atlético me faria tanta falta…. acompanho todos os
jogos pela internet e às vezes pela televisão
internacional….vi o Atlético ser campeão brasileiro
daqui, chorei confesso, pela distância , pela saudade, e
por não estar com meus amigos (cumpadre Freitas e
cumpadre Ney, meus irmãos Osni, Ozi, e Emerson e a Edi
para abraçar e com a minha mãe roendo as unhas pelo
Atlético, da minha sobrinha Rafa , atleticana de
verdade, ah que saudades…)

Quando eu vi Kleberson na copa fazendo tudo aquilo, que
emoção….hoje acompanho os belos gols de Kleber, (tão
criticado quando eu ainda estava ai… eu era um dos
críticos…)

Uma das maiores recordações foi na inauguração, aquele
gol de Lucas e depois de Vanin (2 x 1 contra os
paraguaios), me lembro de um gol de Paulo Rink na chuva
contra o Palmeiras, me Lembro de Oséas subindo no
alambrado aos 46 do segundo tempo contra o arqui-
rival….

Me lembro de um lateral esquerdo chamado
Ladinho e de um ponteiro direito Katinha e outro Nilton
Batata, tinha um centro avante chamado Vaquinha que fez
um gol aos 48 do segundo tempo num inesquecível atle-
tiba…..me lembro com tristeza de três atle-tibas 0 x 0
e os pênaltis nas mãos de manga……..me lembro de
Nilson Borges na ponta esquerda e Buião na direita, de
Nivaldo com a camisa 10, um meio campo chamado Didi…
um camisa oito chamado Rota…um lateral chamado
Augusto…

Me lembro de Assis passando na cabeça de Washington e
gol…..mas o que eu ainda me lembro é de um gol de
Sicupira aos 45 do segundo tempo contra o União de
bandeirantes meu pai voltou lá da Buenos Aires para
entrar novamente…..

E em 70 fui numa excursão para Paranaguá 4 x 1 contra o
seleto (era uma Kombi e um DKV …meu pai e toda a
família….havia um tia Eda, louca pelo Atlético e tal
de goleiro Célio…..). São historias que hoje eu tento
passar aos meus três filhos para que eles cresçam amando
o furacão…..um abraço a todos….



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…