9 nov 2002 - 8h18

OS ÚLTIMOS CARTUCHOS

Seis meses depois de se enfrentarem pela última vez, Cruzeiro e Atlético reencontram-se em situação muito diferente da imaginada para os times que entraram no Campeonato Brasileiro credenciados por terem decidido a Copa Sul-Minas, em maio. Muita coisa mudou desde o 1 x 0 no Mineirão, no dia 12 de maio, que deu o título da competição regional à Raposa.

O Cruzeiro perdeu suas principais estrelas, Sorín, que se despediu naquele dia, Ricardinho e Edílson, além do técnico Marco Aurélio. Passou por uma reformulação em pleno Brasileiro e não conseguiu engrenar. O Atlético manteve a maior parte do elenco, mas ficou sem o comandante Geninho, que, já teve o lugar preenchido nesses seis meses por Valdir Espinosa, Gílson Nunes e Abel Braga, atualmente no comando do Furacão.

O Cruzeiro encerrará com a partida de sábado, um período de nove dias em que os jogadores ficaram concentrados na Toca da Raposa II, com o objetivo inicial de livrar o time do risco do rebaixamento. Com 30 pontos, após as vitórias sobre Grêmio e Gama, o time não só cumpriu a meta como já sonha em chegar aos 39 que podem lhe valer a passagem às quartas-de-final.

Depois de conquistar o Brasileiro de 2001, o título mais importante da sua história, o Atlético não conseguiu repetir a boa campanha em 2002. O Furacão está logo à frente do Cruzeiro na tabela, em 13º, com oito vitórias, sete empates e oito derrotas, e 31 pontos. Mas, com 23 jogos disputados, só pode chegar a 37 pontos, caso vença Cruzeiro e Juventude no domingo, em casa. Já sem possibilidade de rebaixamento, os dois últimos jogos serão apenas uma amarga despedida – já que as chances de classificação são de 1% – bem diferente da euforia no final de 2001.

O técnico Wanderley Luxemburgo terá quatro desfalques para a partida, todos titulares do meio-campo no jogo contra o Gama. O volante Paulo Miranda, o lateral-esquerdo Leandro e o meia Alex receberam o terceiro cartão amarelo e cumprem suspensão, enquanto o volante Fernando Miguel fraturou o tornozelo direito e ficará pelo menos 90 dias em recuperação. Maicon continua de fora, recuperando-se de um corte no joelho direito, num acidente automobilístico.

Devido aos problemas e à boa atuação do time no segundo tempo contra o Gama, após a entrada de Marcelo Batatais, Luxemburgo estuda a manutenção do esquema 3-5-2, que admite não gostar. Quintana disputa a posição com o zagueiro, e poderá formar o meio com Recife, Wendell e Jussiê, caso a opção seja pelo 4-4-2. Em qualquer opção, Ruy e Rondinelli continuam nas laterais.

No Furacão, o técnico Abel Braga terá dois desfalques: o meia Adriano, expulso contra o Paysandu, e o volante Cocito, que sentiu uma contusão na coxa direita. O treinador ainda tem dúvidas sobre os substitutos dois titulares. No lugar de Adriano, a dúvida é entre David e Preto. Já para a posição de Cocito, Alan é o favorito para a vaga.

Há a opção também da entrada de Igor, que atuaria na zaga, com o time atuando com três zagueiros. Em compensação, Abel contará novamente com o atacante Kléber, que cumpriu suspensão contra o Paysandu e volta a formar dupla com o ex-cruzeirense Alex Mineiro.

Ficha Técnica

Data: 8/11/2002 (sábado)
Local: Estádio Independência
Horário: 16h
Juiz: Romildo Correia (SP)
Transmissão: Pay-per-view

Cruzeiro

Gomes, Luisão, Cris e Marcelo Batatais (Quintana); Ruy, Recife, Wendell, Jussiê e Rondinelli; Marcelo Ramos e Fábio Júnior
Técnico: Wanderley Luxemburgo

Atlético

Flávio, Alessandro, Rogério Corrêa, Welington Paulo e Fabiano; Douglas Silva, Alan (Igor), Kleberson e David (Preto); Alex Mineiro e Kléber
Técnico: Abel Braga

Fonte: Pele net



Últimas Notícias

Opinião|Sul-Americana

Libera a torcida!

Uma noite histórica em um jogo com um cardápio recheado de garra, luta, determinação, superação, entrega, guerra, -TIME DE GUERRA – sim não faltam adjetivos…