23 nov 2002 - 21h11

A vez de Rodriguinho

Quando Rodriguinho surgiu no time titular do Atlético Paranaense muitos apostavam que ele seria um novo Kleberson. Porém, até agora, o meio-campista Rodrigo César Castro Cabral ainda não mostrou todo o seu futebol no time profissional do rubro-negro.

O próprio pentacampeão mundial é um de seus maiores incentivadores. Em entrevista concedida à Furacao.com antes da Copa do Mundo, Kleberson apontou Rodriguinho como seu possível sucessor. “Se continuar jogando do jeito que está jogando nos treinamentos, o Rodriguinho tem tudo para ser um grande nome do Atlético Paranaense. Já teve o Kelly, o Adriano, o Lucas e até eu e o Rodriguinho pode ser o próximo”, arriscou o Xaropinho.

Nascido em Maringá, em fevereiro de 1982, Rodriguinho veio das categorias de base, onde conquistou vários títulos com os Juniores. Técnico e com muita facilidade de dominar a bola com a perna esquerda, o jogador se destaca pela versatilidade, podendo atuar em todas as posições do meio-campo.

Para Kleberson, Rodriguinho “chuta muito bem com as duas pernas, tem ótima visão de jogo e tem uma condição também muito boa”. Em 2001, melhor ano de sua carreira, Rodriguinho chamou a atenção do país ao marcar um golaço no jogo contra o Flamengo. O meia entrou no segundo tempo e marcou o último gol da goleada por 4 a 0, deslocando o goleiro carioca.

O que estaria faltando então ao atleta para se firmar definitivamente no time titular? A resposta cabe ao próprio jogador. Chances não lhe faltaram. Talvez seja necessária uma dedicação maior e uma seqüência de jogos. O exemplo de Kleberson é emblemático. O próprio Xaropinho sofreu no início para conquistar uma vaga no time.

Talvez o que falte a Rodriguinho seja a determinação de assumir a responsabilidade. Ex-garoto de rua, Rodrigo foi descoberto por olheiros do Atlético que estão espalhados por todo o estado. Assim, o futebol lhe deu uma oportunidade na vida. Rodriguinho precisa se conscientizar de que brilhar no Atlético é sua grande oportunidade de ser bem sucedido profissionalmente.

Na temporada de 2002, o jogador teve uma séria lesão no púbis, que acabou lhe afastando do gramado por várias semanas. Com contrato em vigência com o rubro-negro, Rodriguinho deverá ganhar uma nova oportunidade em 2003. Segundo o Código Civil brasileiro, a menoridade é encerrada aos 21 anos completos. No próximo ano, Rodriguinho estará comemorando 21 anos. A torcida espera que o aniversário coincida com a definitiva afirmação do atleta.



Últimas Notícias

Libertadores

Hoje é um novo dia…..

…. de um novo tempo/que começou Nesses novos dias/as alegrias/ serão de todos/é só querer. Esses nossos sonhos/ serão verdade o futuro já começou.  …

Fala, Atleticano

Mais do mesmo

Não consigo ver futuro no futebol que o meu time está praticando. Ou seja, não está jogando nada já faz um bom tempo. Vejamos: zagueiro…

Fala, Atleticano

Reflexões…

Após a Derrota contra o Fluminense… Nosso “DT” Felipão, implorou pelo apoio da torcida no jogo de quarta, pois é “vida ou morte”… O Atlhetico…

Fala, Atleticano

Nunca foi unanimidade

Nunca ele foi unanimidade perante a torcida do CAP, o “queridinho” do Petraglia, só conseguiu um destaque em 2018, sob a batuta do Thiago Nunes,…

Fala, Atleticano

Quatro derrotas, já deu!

No início desta temporada, foi informado à Nação Rubro Negra, que à prioridade era o Campeonato Brasileiro. Já passou, seis rodadas, vencemos duas sem convencer…