23 nov 2002 - 8h40

DOSSIÊ: ROGÉRIO SOUZA

O lateral-direito Rogério Souza foi contratado pelo Atlético na temporada de 2000. Aos 23 anos, o atleta era apontado como uma das principais revelações da Região Centro-Oeste do país. Nascido em Goiás, Rogério iniciou sua carreira como meio-campista no Goiânia, a terceira equipe da capital do estado.

No alvinegro, foi companheiro de Rogério Corrêa, com quem voltaria a jogar no Vila Nova e no Atlético. Sua fama ultrapassou os limites de Goiás e do Centro-Oeste em 1999, quando o Goiânia disputou a Série C do Campeonato Brasileiro.

Rogério se destacou como um lateral-direito ofensivo e habilidoso, responsável por muitos gols da equipe. Em setembro, o Goiânia recebeu o tradicional Fluminense no estádio Serra Dourada. O Flu havia sido rebaixado no ano anterior e era a principal atração da Terceira Divisão, da qual acabaria sendo campeão meses depois.

Porém, o time treinado por Luiz Dário, que contava com Rogério Souza e Rogério Corrêa, não se deixou bater pelo tricolor carioca. A vitória do Flu por 3 a 2 estava garantida até os 30 minutos do segundo tempo, quando o reserva Adriano empatou o jogo para o time da casa. E, aos 41, Rogério Souza arriscou de fora da área e marcou um golaço, virando o jogo. Até hoje, esse é o jogo inesquecível de sua carreira.

Esse gol despertou a atenção de vários clubes por seu futebol. Logo em seguida, foi emprestado pelo Goiânia ao Vila Nova, ao lado do zagueiro e xará Rogério Corrêa. Disputaram algumas partidas da Série B de 99 e foram campeões goianos no ano seguinte.

No segundo semestre de 2000, o Atlético foi a Goiás para buscar as duas revelações do estado. Se Rogério Corrêa se firmou de imediato e conquistou a posição de titular, o destino de Rogério Souza não foi tão venturoso. O lateral disputou posição com Luisinho Netto, Héverton e Alessandro e chegou a ser terceiro reserva.

Foi campeão brasileiro em 2001 e duas vezes campeão paranaense, mas nunca aproveitou as chances que teve. No primeiro semestre de 2002, esteve emprestado à Matonense. Defendendo o clube paulista, foi um dos principais destaques do Estadual e chegou a entrar para a seleção dos melhores jogadores da competição.

De volta ao Atlético, porém, não repetiu o mesmo bom futebol. O técnico Valdyr Espinosa lhe deu uma nova chance, desta vez no meio-campo. Rogério Souza foi titular do Atlético na partida de estréia do Brasileirão, contra o Guarani e jogou alguns outros jogos, mas não foi bem.

Seu futuro é incerto no clube, especialmente com a possibilidade de o titular Alessandro ser negociado com o exterior. Neste caso, Rogério ganharia nova chance, desta feita a definitiva. Porém, seu destino já pode ter sido traçado pela diretoria em função de suas atuações no último Brasileiro.



Últimas Notícias

Libertadores

Hoje é um novo dia…..

…. de um novo tempo/que começou Nesses novos dias/as alegrias/ serão de todos/é só querer. Esses nossos sonhos/ serão verdade o futuro já começou.  …

Fala, Atleticano

Mais do mesmo

Não consigo ver futuro no futebol que o meu time está praticando. Ou seja, não está jogando nada já faz um bom tempo. Vejamos: zagueiro…

Fala, Atleticano

Reflexões…

Após a Derrota contra o Fluminense… Nosso “DT” Felipão, implorou pelo apoio da torcida no jogo de quarta, pois é “vida ou morte”… O Atlhetico…

Fala, Atleticano

Nunca foi unanimidade

Nunca ele foi unanimidade perante a torcida do CAP, o “queridinho” do Petraglia, só conseguiu um destaque em 2018, sob a batuta do Thiago Nunes,…

Fala, Atleticano

Quatro derrotas, já deu!

No início desta temporada, foi informado à Nação Rubro Negra, que à prioridade era o Campeonato Brasileiro. Já passou, seis rodadas, vencemos duas sem convencer…