6 fev 2003 - 11h20

Opinião: “eu critiquei. Fui burro”

Assim que Heriberto da Cunha foi contratado escrevi neste mesmo espaço que ele faria um ‘test-drive’ no Atlético. Poderia realizar uma boa campanha e depois abandonaria o clube para tentar passos maiores.

Continuo achando que Heriberto pode mesmo seguir o caminho de Vadão ou de Geninho, só que peço desculpas pela crítica da sua vinda ao Furacão. Heriberto está ajeitando o time do Atlético. Ontem mesmo o time evoluiu em comparação às primeiras partidas do Paranaense. As entradas de David, Jean, Kleberson e Dagoberto deixaram o futebol do rubro-negro mais solto e mais alegre.

Apesar do gol do Dagoberto ter saído somente aos 46′ do segundo tempo, gostei do que vi. Gostei da boa vontade do Fabrício e das travessuras do Fabinho. Reclamo apenas do posicionamento da zaga nas cobranças de escanteio e de faltas. Ígor e Rogério Corrêa têm que se impôr e mostrarem que já estão amadurecidos.

Dêem tempo ao Heriberto. Mais dez jogos e a seqüência do trabalho pode ser coroada com um inédito tetracampeonato. Já gritar “Fora, Heriberto” é, no mínimo, burrice.

Eu me desculpei. É hora desse povo que jogou pedra no treinador e pediu a demissão dele, fazer o mesmo. Acordem, atleticanos. Não adianta nada falar que a imprensa está contra, se a gente não se ajuda.

Sérgio Tavares Filho
colunas@furacao.com



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…