7 fev 2003 - 6h48

AGITAÇÃO NOS BASTIDORES

De alguns anos pra cá é sempre a mesma polêmica antes de um clássico Atletiba. Enquanto o Atlético exige arbitragem de fora do Paraná, o Coritiba quer prestigiar os apitadores locais.

Desta vez o bate-boca começou com as declarações do presidente atleticano, Mário Celso Petraglia, depois da vitória apertada de seu time sobre o Rio Branco de Paranaguá. “Fomos muito prejudicados nesta partida. Se o nível da arbitragem continuar assim acho que teremos problemas no Atletiba. Por isso seria bom trazer alguém de fora”, afirmou Petraglia.

O dirigente também criticou a atuação de Héber Roberto Lopes no clássico da semana passada entre Coritiba e Paraná, fato que irritou o presidente do Coxa, Giovani Gionédis. “Queria agradecer ao Petraglia por ter ido ver o nosso jogo com o Paraná, acho que ele é o espião do técnico do Atlético”, disse ironicamente Gionédis.

“As declarações mostram o desespero dele. Mas nós temos a cabeça tranqüila, até porque estamos cinco pontos na frente daquele time da Baixada”, completou, a esta altura já num duelo ao vivo entre os dois presidentes na Rádio Banda B.

Com o transcorrer do debate os dois foram se acalmando e ponderando melhor suas declarações. No final até consideraram conversar sobre a hipótese de trazer mesmo um árbitro de fora do estado para comandar o clássico.

Mas na tarde desta quinta-feira a Federação Paranaense de Futebol (FPF) anunciou o nome de um paranaense para ser o mediador do Atletiba: Francisco Carlos Vieira.

“Ele é um árbitro experiente e não vai se deixar influenciar por essas polêmicas e pressões que antecedem a partida”, afirmou o presidente da Comissão Estadual de Arbitragem, Fernando Luiz Homann.

Terra Esportes



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Era uma vez…..

…. um time que vencia mas não convencia. Um time que tinha alguns padrões bem definidos e que quase sempre se repetiam jogo após jogo:…