16 ago 2003 - 15h51

Dagoberto ganha destaque na imprensa

A Seleção Brasileira não levou o Ouro no Pan, mas Dagoberto, ausente da final contra a Argentina devido a uma contusão, foi considerado como o grande jogador brasileiro pela imprensa nacional. Até mesmo os jornais argentinos destacaram a importância do atacante do Atlético para a seleção. Confira:

Jornal O Globo (13/08)
TALENTO DE DAGOBERTO PÕE O BRASIL NA FINAL CONTRA A ARGENTINA
Jogador marca um golaço na vitória de 1 a 0 sobre o México
O Brasil sofreu para passar pelo México, ontem à noite, no estádio Juan Pablo Duarte. Mas o talento individual de Dagoberto, autor das melhores jogadas do time e do gol, aos 41 minutos do segundo tempo, colocou a seleção brasileira em mais uma disputa pelo ouro”

Jornal da Tarde – SP (13/08)
DAGOBERTO SALVA O FUTEBOL
O jogo não foi dos melhores, mas pelo menos serviu para o Brasil se classificar para as finais do Pan-Americano – contra a Argentina, sexta-feira. Graças ao atacante Dagoberto, que marcou o gol decisivo, aos 42 do segundo tempo e deixou o campo logo em seguida sentindo uma contusão na perna direita. (…) O jogo andou sonolento, até que, para salvar a noite, Dagoberto, do Atlético-PR, recebeu lançamento de Diego Souza, aos 42 do segundo. Ele tocou por cima do goleiro – quase num lençol – e, cheio de habilidade, bateu de primeira para o gol, antes de a bola tocar no chão

Mário Marcos de Souza – Zero Hora (14/08)
A decisão do torneio de futebol do Pan entre Brasil e Argentina, amanhã, vai estabelecer o confronto ente dois jogadores habilidosíssimos. São as lideranças técnicas das duas seleções. De um lado, Cangele, 19 anos, do Boca Juniors, autor do gol que levou a Argentina à decisão do Ouro. De outro, Dagoberto, 20 anos, do Atlético Paranaense, que fez o gol da classificação diante do México. Esta disputa vai decidir tudo. Quem for melhor ganha o ouro.

Paulo Roberto Falcão – Zero Hora (14/08)
INTELIGÊNCIA – A recuperação de Dagoberto pode ser decisiva para o Brasil conquistar o ouro no futebol masculino dos Jogos Pan-Americanos. A Argentina fará uma guerra – isso eles fazem melhor do que ninguém. Por isso é indispensável contar com um jogador hábil e inteligente como Dagoberto.

Alberto Helena Jr. – Diário de S. Paulo (15/08)
Claro que uma análise rigorosa sobre a atuação da seleção do Pan diante do México fica prejudicada pela expulsão do becão Adaílton, no começo do segundo tempo. Mesmo porque foi a partir daí, com dez contra 11, que o Brasil se revelou mais agudo, a ponto de chegar à vitória, aos 43 minutos, com um golaço do menino Dagoberto: bola enfiada com precisão, que o atacante tirou do goleiro num lençol curto para concluir com a direita, já quase sem ângulo, para as redes, pelo alto. Dagoberto, aliás, nesses instantes, foi um jogador decisivo, não apenas pelo gol, mas por sua movimentação ininterrupta, entre o meio-de-campo e o ataque, formado apenas por Vágner Love. O diabo é que Dagoberto se contundiu seriamente e são poucas as chances de jogar contra a Argentina, na decisão do ouro do Pan.

La Nación – ARG (15/08)
La mayor preocupación brasileña pasa por la recuperación de su principal figura, Dagoberto, que sufrió una lesión en la pierna derecha. En caso de no estar en condiciones, su reemplazante será Calixto.

Alberto Helena Jr – Diário de S. Paulo (16/08)
Nenhuma dessas duas seleções chegou a exibir um jogo brilhante, distinto, praticado com arte e ciência, de acordo com as tradições das duas escolas mais importantes da América do Sul. A Argentina praticamente deposita todas as suas esperanças no menino Cangele, um canhoto hábil e atrevido, que tanto vem armar o jogo aqui atrás quanto se enfia na área para as jogadas decisivas. Nosso time, igualmente, não prima pelo toque de bola envolvente, perspicaz, incisivo, que fez da escola brasileira a mais vitoriosa e encantadora do mundo. Ao contrário: nosso meio-de-campo, com Wendell, Dudu, Diego e Cleyton Xavier, embora guerreiro, carece de um verdadeiro armador que saiba explorar o talento dessa magnífica dupla de área formada por Vágner Love e Dagoberto, que, tudo indica, terá condições de jogo. Los hermanos viveram do talento desse menino Cangele, canhotinho habilidoso e decisivo, enquanto nós nos sustentamos no talento da dupla avançada, Dagoberto-Vágner Love.

El Clarín – ARG (16/08)
Talvez Brasil extrañaba a Dagoberto, su delantero figura, ausente por lesión. Justamente Dagoberto, de Atlético Paranaense, es uno de los tres brasileños de este equipo que juegan en la Primera División de su país.

Ricardo Olivier – Zero Hora (16/08)
O Brasil sentiu demais a falta de Dagoberto, o seu maior talento. E perdeu a chance de ser mais uma vez Penta.



Últimas Notícias

Opinião

O Furacão voltou

Não podia ser num jogo qualquer… Nosso retorno para casa tinha que ser numa semi-final de Copa do Brasil, contra o badalado e protegido Flamengo,…

Sul-Americana

Confira como ir ao Uruguai

Logo após a classificação diante do Peñarol pelas semifinais da Sul-americana 2021, a enorme procura dos torcedores pelas passagens aéreas de Curitiba a Montevidéu acabou…