12 dez 2003 - 22h15

Washington está pronto para jogar

O torcedor atleticano está prestar a receber uma ótima notícia nos próximos dias. O atacante Washington, de 28 anos, deve ter seu retorno ao futebol profissional anunciado pelos médicos que estão acompanhando sua recuperação.

Washington começou a carreira nas categorias de base do Caxias. Tornou-se o maior artilheiro da história do clube, ultrapassando a marca de Bebeto, ídolo da década de 70. Depois, jogou no Internacional e no Paraná Clube. Viveu uma excelente fase na Ponte Preta, chegando a ser convocado para a Seleção Brasileira.

Suas boas atuações o levaram para o futebol europeu. O Fenerbahçe adquiriu os direitos federativos de Washington, mas foi na Turquia que ele viveu os piores momentos de sua vida. Ele sofreu um ataque cardíaco e teve de ser submetido a uma cirurgia. Voltou a sofrer outras intervenções durante o ano de 2003.

Chegou ao Atlético ainda no primeiro semestre e havia a expectativa de que pudesse reforçar o time no Brasileiro. Porém, a junta médica que analisou os exames do jogador vetou a possibilidade de seu retorno imediato aos gramados. O cardiologista Constantino Constantini revelou que a situação era delicada, mas a força de vontade de Washington motivou os médicos a buscarem uma solução.

Depois de vários meses, Washington está quase pronto para voltar. Em entrevista ao jornal O Pioneiro, de Caxias do Sul, revelou que não vê a hora de voltar a entrar em campo para fazer o que mais sabe: gols.

Pioneiro: Você está liberado para voltar a jogar?
Washington: O cardiologista Constantino Constantini ainda não deu o aval final. Mas é quase certo que estou liberado, pelo que os exames mostraram. Não quero dar como certo para não criar criar uma euforia exagerada. Mas, pelas palavras dele, dizendo que tudo saiu como esperava, estou aliviado, e muito feliz.

O que você fará nos próximos dias?
Eu estava treinando normalmente no Atlético-PR. Aqui, vou ver se pego uma academia, corro na rua e jogo um futebolzinho com os amigos.

Você está em ritmo de jogo?
Sim, vinha fazendo coletivos. Estou quase com a mesma condição dos companheiros do Atlético-PR.

E o faro de gol, continua o mesmo?
Não perdi. Nos treinos, estava botando a bola na rede. A gente pode perder um pouco o ritmo, mas nunca a decisão na hora de fazer o gol.

Você já renovou com o Atlético?
Não. Após a liberação pelos médicos – Constantini e os do clube -, o meu empresário, Gilmar Rinaldi, irá negociar.

Fonte: Jornal O Pioneiro



Últimas Notícias