22 dez 2003 - 10h49

Dossiê 2003: os laterais rubro-negros

Na opinião da torcida rubro-negra – retratada na atual pesquisa da Furacao.com -, a lateral foi a segunda posição mais carente do elenco do Atlético em 2003. Além da reclamação quanto à qualidade demonstrada em alguns jogos, também preocupa a ausência de atletas disponíveis tanto para a lateral-direita quanto para a esquerda.

Alessandro e Ivan foram titulares absolutos durante todo o ano, seja com Heriberto da Cunha, com Vadão ou com Mário Sérgio. Alessandro ficou afastado da equipe durante um período, no início do segundo turno do Brasileiro, para recuperar a forma física.

Na ausência dos titulares, várias opções foram testadas. David, ex-atleta dos Juniores, recebeu mais chances de substituir Alessandro no início do ano. Com a chegada de Mário Sérgio, foi relacionado poucas vezes para o time principal. Janiro, contratado durante o Campeonato Brasileiro, não disputou nenhuma partida neste campeonato – só foi utilizado durante a Copa Sesquincentenário.

O jovem André Luiz, convocado para a Seleção Sub-20, poderia surgir como boa opção, mas ficou afastado dos gramados em função de uma pubalgia. Assim, foram testados na lateral-direita os meias Rodriguinho, Luciano Santos, Alan Bahia e até Fernandinho.

No lado esquerdo, Ivan deu poucas chances aos suplentes. Michel Bastos também chegou ao clube durante o Brasileiro, mas Mário Sérgio o escalou poucas vezes. Com a saída de Ivan, tiveram chances o volante Izaías e o meia Fabrício.

ALESSANDRO
Alessandro é um dos jogadores que está há mais tempo no Atlético. Chegou ao clube em 2000 e recebeu uma chance do técnico Antônio Lopes. Jogou muito bem e chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira em algumas oportunidades. Neste ano, teve uma temporada irregular. Não marcou nenhum gol e teve atuações muito criticadas durante o Brasileiro. Chegou a ser afastado do grupo para recuperar a forma física, mas voltou ao time e se manteve como titular até o final do ano.

IVAN
Jogador revelado nas categorias de base, recebeu uma oportunidade com a negociação de Fabiano para o São Paulo, ocorrida em janeiro. Foi efetivado no time de cima e chegou a ser ameaçado por Jean, destaque na Seleção Brasileira Sub-20. Porém, recebeu a confiança de Vadão e foi mantido no time. Com a chegada de Mário Sérgio, passou a ser responsável também por cobranças de faltas e escanteios. Foi sacado do time nos últimos jogos em razão de uma cirurgia na boca.

DAVID
David foi revelado no time profissional do Atlético durante o Brasileiro de 2002. Originalmente meio-campista, ele se adaptou à lateral e investiu na função. Com Vadão, era o reserva imediato de Alessandro, mas não chegou a jogar uma boa partida. Mário Sérgio o afastou da equipe, abrindo uma chance para ele jogar a Copa Sesquicentenário. Foi capitão do time e ergueu o troféu de campeão. No final do ano, voltou a jogar o Campeonato Brasileiro.

MICHEL BASTOS
Muito jovem, Michel destacou-se no Pelotas e foi negociado com o futebol holandês. O Atlético anunciou sua contratação para compensar a saída de Jean, na metade do ano. Rápido e habilidoso, Michel não aproveitou bem as primeiras chances e também não foi muito aproveitado pelo técnico Mário Sérgio. Outro que se utilizou da Copa Sesquicentenário para mostrar suas qualidades.

Conheça mais sobre os laterais do elenco do Atlético:



Alessandro



David


André Luiz


Janiro

Ivan


Michel Bastos
       


Últimas Notícias