3 set 2004 - 1h28

Confira a coletiva do técnico Levir Culpi

Leia as principais declarações do técnico Levir Culpi durante a entrevista coletiva realizada após o jogo contra o Guarani, nesta quinta-feira na Arena da Baixada:

DESEMPENHO
"Tivemos as seguintes situações na partida: um jogo ruim e um grande resultado. Hoje nós emperramos um pouco na puxada do contra-ataque, que é uma jogada mortal nossa. Mas os grandes resultados que nós tivemos normalmente foram em bons jogos. Mas hoje nós emperramos um pouco na puxada do contra-ataque, que é uma jogada mortal nossa. O Jadson ficou engatado umas 4 ou 5 vezes, mas mesmo assim ele fez a jogada do primeiro gol e depois deixou o Pingo na cara do gol"

CONTRA-ATAQUES
"Nos jogos passados essas puxadas que demos hoje normalmente terminaram com gols. Eu não sei se foi o peso de ter saído de um clássico e de a responsabilidade ter ficado só conosco. Mas o Guarani também precisava vencer de qualquer maneira e às vezes as coisas não saem como a gente pretende."

RESPONSABILIDADE
"A grande vantagem que nós temos é a preparação de uma semana para nos prepararmos. Os erros nós vamos analisar e conversar com os jogadores para corrigir. Tenho certeza que vamos ter uma apresentação bem diferente contra o Santos, será totalmente diferente da partida de hoje. A única coisa igual será a responsabilidade."

TREINAMENTOS
"A semana não foi muito interessante porque não temos o hábito de treinar no final de semana. Mas nós vamos treinar direto, no sábado, domingo, segunda e terça, independentemente de feriado. Num momento como esse, eu não admito nem reivindicação para não treinar. Quem está querendo adquirir a ponta do campeonato tem de ver essa folga como um presente. Felizmente, os jogadores estão entendendo e isso está fazendo com que o Atlético faça uma boa campanha. Já está marcada a programação e se alguém reclamar, está fora."

MOBILIZAÇÃO
"Acho que temos de ter humildade e paciência em todos os jogos. Mas não há como negar que um clássico mobiliza muito mais que um jogo contra o Guarani. A mobilização de um jogo desses é diferente. Por exemplo: vamos jogar contra o Santos e a mobilização já começa hoje (quinta-feira). Isso deixa o jogo diferente. Em outros jogos, as pessoas não respeitam o adversário. Todos vieram aqui para ver um 5 a 0. Mas não é bem assim. O Guarani veio aqui para dar a vida. Não jogamos o que normalmente jogamos, mas isso faz parte do trabalho."

COMPARAÇÃO
"Enfrentamos uma equipe que jogou bem e precisava do resultado, entregou a vida. O jogo contra o Santos não tem parâmetro para comparar. Não precisa ser muito inteligente apra saber que se jogarmos assim contra o Santos será muito difícil. Mas nós vamos trabalhar bastante para melhorar"

SANTOS
"Para ter uma vitória, é preciso ter harmonia. O time precisa estar bem emocionalmente, pois vai ser um jogo desgastante. Mas vamos para lá com um pensamento só: fazer o melhor, vencer e atingir a ponta do campeonato. O Atlético não vai ter medo de ninguém."



Últimas Notícias