9 set 2004 - 0h10

Marcação prevaleceu na partida

No confronto entre os dois líderes do Campeonato Brasileiro, a marcação prevaleceu sobre os ataques. Nos 90 minutos de jogo, poucas oportunidades foram criadas por ambos os times. Nas duas únicas bobeadas dos sistemas defensivos do peixe e do rubro-negro, saíram os gols. “Os dois times priorizaram a marcação. Eles tiveram uma chance e converteram e nós tivemos uma chance e convertemos. O resultado foi justo”, resumiu o zagueiro Marcão.

Para os jogadores do Furacão, esse domínio da marcação era bastante previsível. “Sabíamos que seria um jogo difícil, um jogo de muita pegada”, disse o volante Alan Bahia.

Para o zagueiro Rogério Corrêa, a grande lição foi de que, ao marcar o gol, o time precisa ficar mais atento na marcação. “O jogo foi bastante truncado, de bastante marcação. Fica a lição de que não podemos tomar um gol tão rápido, que motivou o time deles”, disse.



Últimas Notícias