13 set 2004 - 17h43

Três anos depois, Folha se rende ao Furacão

Nada como um dia após o outro. O dito popular, que traduz a celebração do tempo como melhor remédio para curar os problemas, teve confirmação mais uma vez nesta segunda-feira. A Folha de S.Paulo, um dos principais jornais do país, publicou hoje reportagem na qual reconhece a força do Clube Atlético Paranaense.

A matéria "Santos e Atlético-PR ditam e disputam o novo século no Brasileiro", de autoria do jornalista Rodrigo Bueno, ocupou o lugar de maior destaque do caderno de esportes da Folha. A reportagem revela a confirmação de uma nova ordem do futebol brasileiro, na qual Atlético e Santos ocupam postos de destaque.

Há quase três anos, no dia 11 de dezembro de 2001, o mesmo Rodrigo Bueno foi autor de reportagem publicada na própria Folha de S.Paulo em que classificou o Atlético como "modesto" e cometeu uma série de equívocos. Na época, a matéria foi considerada o pior texto jornalístico do ano. Bueno recebeu centenas de reclamações da torcida atleticana e foi criticado inclusive pelo ombudsman da Folha.

Nesta segunda, a matéria finalmente faz jus à grandeza do Atlético. Confira o texto na íntegra:

Santos e "Furacão" ditam e disputam o novo século
por Rodrigo Bueno, da Folha de S.Paulo

O século 21 só deu campeões inéditos ao Brasileiro e apontou uma nova ordem no principal campeonato do país. O torneio deste ano confirma essa nova ordem, mas tende, após a 30ª rodada, ao primeiro bi do 3º milênio.

Santos e Atlético-PR venceram ontem duras provas contra concorrentes diretos e campeões nacionais do século passado. Palmeiras e Corinthians perderam, respectivamente, por 2 a 1 e 3 a 1.

O Nacional está cada vez mais polarizado entre os campeões de 2001 e 2002. Se o Santos venceu o primeiro turno, quem lidera o segundo é o ""Furacão" (17 pontos) – o único invicto no returno.

Os dois clubes têm 55 pontos, mostram grande vocação ofensiva (primeiro e terceiro melhores ataques do torneio), mas o time paulista tem vantagem no número de vitórias (17 a 16). No confronto direto, os atleticanos levaram a melhor – uma vitória em casa e um empate na Vila.

Além dos dois, apenas um time chegou à casa dos 50 pontos. O Goiás, que luta neste século também pelo seu primeiro título de Brasileiro, está com 52 na tabela.

O Santos perdeu peças importantes que triunfaram em 2002, mas manteve Robinho e soube se reforçar, especialmente com Vanderlei Luxemburgo, o técnico que levou o Cruzeiro ao primeiro Nacional de sua história em 2003.

O Atlético-PR também mudou bastante em relação a 2001, mas continua usando a seu favor como poucos a condição de mandante e justificando o apelido de ""Furacão" – está invicto há 12 rodadas, um recorde no torneio.

Segundo o Datafolha, em muitos fundamentos o Santos atual é melhor que o de 2002 (passa e finaliza melhor, lança mais, faz mais gols, perde menos bolas e comete menos faltas), e o Atlético-PR atual é melhor que o de 2001 (finaliza melhor, lança e cruza mais, perde menos bolas e comete menos faltas).

Flamengo, Palmeiras, Vasco, São Paulo, Inter, Corinthians, Grêmio, Botafogo, Atlético-MG… Os campeões do século passado vêem o desfile de times ascendentes e da nova geração santista. E uns devem ver em 2005 da Série B.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Era uma vez…..

…. um time que vencia mas não convencia. Um time que tinha alguns padrões bem definidos e que quase sempre se repetiam jogo após jogo:…