27 set 2004 - 1h46

Colunista avalia atuação dos jogadores

O colunista Ricardo Campelo faz uma avaliação do desempenho dos atletas atleticanos no jogo contra o Flamengo. Confira as notas atribuídas por Campelo aos jogadores. Vale lembrar que para efeitos de Troféu Furacao.com são computadas as médias de no mínimo três avaliadores do site:

Diego7,5 – foi bem quando exigido. Não acho que seria o caso de sair do gol no tento o Fla, pois a bola estava meio longe e bastante alta.

Marinho7,0 – muito bem atrás, como de costume. Mas tem que colocar a cabeça no lugar: tentou inventar de driblar, tocar, e quase complicou. E ser expulso com o jogo ganho também não dá pra engolir. Vai fazer falta na próxima partida.

Igor7,5 – muito melhor do que o esperado. Ganhou muitas bolas no alto e evitou se complicar, se livrando da bola quando preciso.

Fabiano7,0 – Está estranho, andou até furando, coisa que não estamos acostumados a vê-lo fazer… Mas tem uma liderança muito importante em campo.

Fernandinho7,0 – Um pouquinho abaixo do que vinha rendendo. Melhorou bastante quando foi para o meio.

Bruno Lança7,0 – jogou bem, sem aparecer muito, sem inventar. Ficou devendo na saída de bola, o que o Alan Bahia vem exercendo com mais qualidade.

Pingo7,0 – pra jogar como segundo volante em um esquema de três zagueiros, precisa apoiar melhor e com mais constância.

Jadson3,0 – pior partida que eu já vi em sua carreira. Lamentável. Displicente, errando passes, lançamentos e mal até nas bolas paradas. Tem que acordar, pois precisamos do seu futebol para conquistar o título.

Ivan8,0 – melhorou impressionantemente no apoio, explorando sua velocidade. Falta a consciência de que não é craque, e caprichar mais nos cruzamentos.

Dagoberto6,5 – Hoje não conseguiu se livrar da marcação. E precisa aprender mais a jogar com os companheiros. Nem sempre precisa resolver tudo sozinho.

Washington10,0 – Brigou, lutou, tentou o jogo inteiro. Raça, Raça, Raça. Incomodou demais o time inteiro do Flamengo, não dava sossego. Nunca vi um atacante desarmar como ele desarma, pois está sempre presente, pressionando a saída de bola adversária. Mesmo depois de 90 minutos de esforço, ainda encontrou forças para continuar pressionando, e em um desses lances causou o erro do adversário, do qual saiu o gol da virada. Sua luta nos rendeu 3 pontos que podem representar o título. Uma boa lição para aqueles torcedores que se irritam e vaiam quando ele perde algumas bolas. Resumindo: raçudo e ainda fez os dois gols da vitória – tem como não dar DEZ pro artilheiro do brasileirão?

Substitutos:

Raulen7,5 – Entrou com mais vontade, mais atuante do que o Pingo.

Denis Marques8,0 – Teve pouquíssimo tempo, e nesse tempo conseguiu estar presente muito bem, trabalhando a bola com qualidade e ainda fez a assistência para o gol do Washington. Vários jogadores estiveram nesta mesma posição, mas hesitaram em acionar o camisa 9. Ele o fez, e fez com precisão: tocou já ao lado do pé para facilitar a virada e a batida.

Clique aqui para entrar em contato com o colunista.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Era uma vez…..

…. um time que vencia mas não convencia. Um time que tinha alguns padrões bem definidos e que quase sempre se repetiam jogo após jogo:…