1 out 2004 - 11h46

Opinião de Ricardo Campelo

O colunista Ricardo Campelo escreve sobre a entrevista dada pelo Presidente Mário Celso Petraglia ao jornal Gazeta Esportiva. Petraglia reafirma sua contrariedade às torcidas organizadas. Confira o texto:

União
por Ricardo Campelo

"Se grito ganhasse jogo, seria muito fácil fazer futebol."

Foi com a mais profunda tristeza que li esta declaração do Presidente do Conselho Mário Celso Petraglia, em entrevista concedida dias atrás ao jornal Gazeta Esportiva, quando ainda disse que "A torcida organizada não traz nada para o clube, pelo contrário(…) A organizada é extremamente prejudicial"

Em primeiro lugar, é difícil entender como um administrador do quilate do Presidente pode chegar à irreponsabilidade de emitir uma opinião deste tipo nesta reta final do campeonato brasileiro, com o Atlético tão perto do bicampeonato. Pelo visto, não serviu de lição a perda do campeonato estadual após o absolutamente inoportuno anúncio do aumento dos ingressos para os famigerados R$ 30,00.

É tão contraditório ver que até mesmo a tão criticada torcida organizada abandonou a agressividade com a diretoria em benefício do time, mas de outro lado a diretoria não consegue fazer o mesmo. Ver que a organizada, para evitar qualquer desestabilização, não esperneou após o nebuloso acordo que elevou novamene o preço dos ingressos, mas de outro lado a diretoria vem espezinhá-la publicamente negando que ela ajude o Clube, e ainda implementa uma nova setorização visando tirar a orgnizada de seu lugar no estádio e sufocá-la cada vez mais.

É difícil entender como é que pode a força da torcida atleticana ser exaltada por todo o Brasil, ou mesmo fora dele, mas ser desmentida pelo próprio dirigente do Clube. Será que grito não ganha jogo mesmo? Será que o torcedor serve única e exclusivamente para encher o cofre do Clube? Que não adianta ele vestir vermelho e preto para ir à Arena, pois para o Clube ele representa nada mais do que um $ cifrão $ ? Será que quando eu vou ao estádio e passo o jogo inteiro gritando e incentivando o time, eu estou fazendo papel de palhaço, pois isso não ajuda em nada?

Respondo com novas perguntas:

Se grito não ganha jogo, por quê é que o retrospecto do Atlético é infinitamente superior em casa do que fora de casa?

Por quê é que os próprios jogadores constantemente erguem o braço pedindo o apoio da torcida? Será que são retardados?

Será que quando o mesmo Presidente disse, na Revista Oficial do Clube em 1996, ao se referir aos gritos da torcida atleticana quando o time perdia de 5 para o rival, que "aquilo me emocionou, eu senti que precisava fazer alguma coisa para impedir a crise e presentear aquela torcida maravilhosa", estava mentindo?

Eu tenho certeza que não. Estou certo de que a torcida atleticana, e não apenas o seu dinheiro, vale muito. A partir dela é que veio o crescimento do Clube. Sem a torcida, nada seria possível, pois nada faria sentido. Boa administração ganha jogo. Mas Grito ganha também jogo, sim senhor. Por quê polarizar? Por quê não unir a força ímpar desta torcida à excelente administração que vem sendo feita?

Uma empresa obtém sucesso quando cada setor tem consciência da importância do outro. E tenho certeza de que, apesar de a diretoria do Atlético negar a importância da torcida, a torcida sabe o quanto a diretoria é importante, assim como sabe o quanto os jogadores são importantes. E tenho certeza, também, de que os jogadores sabem da importância da torcida.

Por tudo isto, não venho aqui fazer uma crítica à diretoria. Não venho conclamar a torcida a se revoltar, ou coisa parecida. Venho aqui, humildemente, fazer um pedido à diretoria. Pedir que deixe este rancor de lado e faça como nós, torcedores: se concentre apenas no bicampeonato. Pelo menos nestas rodadas finais, esqueçam os desentendimentos, esqueçam a elitização, esqueçam tudo. Temos um objetivo em comum, que não pode ser atrapalhado por nada.

Diretoria, torcida, jogadores… Vamos pensar apenas no bicampeonato. A qualquer preço. Única e exclusivamente. Nenhum sentimento, nenhuma mágoa, vale mais do que este título.

Ricardo Campelo é colunista da Furacao.com. Clique aqui para ler outros textos de sua autoria.

O conteúdo da opinião acima é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não expressa necessariamente a opinião dos integrantes do site Furacao.com.

Entre em contato com a colunista.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Obrigado, Alberto!

Alguns vão julgar, “Cedo demais”… Mas para mim, já Deu!!!! Alberto Valentim: O LATERAL DIREITO, jamais será esquecido e estará entre os maiores camisas 2…