O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
5 out 2004 - 21h39

O ataque

Amigos Atleticanos:

O que ocorre entre a torcida organizada Os Fanáticos e o senhor Mário Celso Petráglia são divergências internas menores. Digamos que o nosso homem forte possui suas razões e a torcida também. Sempre haverá argumentos fortes para defender qualquer um dos pontos de vista. O fato é que, sem Petráglia, o Atlético não seria o que é. E também é fato que sem a torcida, pode deixar de ser o que é. Acredito que é hora de diálogo e de entendimento, já que ambas as partes amam demais o nosso Atlético Paranaense.

E assim acredito porque o nosso verdadeiro inimigo anda oculto por trás dos bastidores, infiltrado nesse verdadeiro quarto poder que é a mídia, de onde lança seus ataques aos interesses rubro-negros, talvez na tentativa de desequilibrar o ambiente de trabalho ou até mesmo de atirar contra o Atlético Paranaense boa parte da opinião pública que ainda está neutra.

Nunca fui homem de meias palavras ou de falar de alguém sem assumir o que disse ou o que pretendo dizer. E, por outro lado, é óbvio que o amigo torcedor bem-informado sabe que estou me referindo ao programa daquele cavalheiro chamado Milton Neves. Não vou dizer que aquilo é o extremo da indecência ou afirmar que ali não existe ética, não. A análise sob o ponte de vista moral é personalíssima. Que cada um avalie como quiser, portanto, até que ponto um programa esportivo de quinta categoria e sem comentaristas de relevância no futebol nacional – com a rara exceção do Dr. Osmar de Oliveira – pode expor o nome do Clube Atlético Paranaense a chacotas e aos comentários vazios de um homem arrogante como o senhor Paulo Morsa, que por uma dessas coincidências do destino é nascido em Santos e parece ter um prazer doentio em fazer gracinhas envolvendo o nome do rubro-negro…

Na última vez, declarou que Jádson e Dagoberto são bons jogadores, mas que o time do Atlético é de nível médio. Pois eu gostaria de saber qual é o time da atualidade que ultrapassou o limite do mediano. O Santos? O Palmeiras? O Corinthians? Todos parecem ser de um nível muito abaixo do médio. Basta ver o que fizeram em campo São Paulo X Corinthians e São Paulo X Palmeiras. E por que razão o ilustre Morsa nada fala sobre eles? Que raiva gratuita é essa que sustenta pelo Atlético? Por que nem mesmo o nome do clube esse sujeito se nega a falar de maneira correta? Diz Atlético do Paraná, em vez de Atlético Paranaense. Declara que o Furacão está alcançando bons resultados usando o fator campo em Curitiba e o auxílio da arbitragem quando joga em outros estdádios. Diz que o Washington marcou 12 gols de pênalti, querendo insinuar que a arbitragem assinala muitas faltas máximas a favor do Atlético. Pois que culpa temos de possuir Jadson e Dagoberto, que são alígeros, habilidosos e difíceis de parar sem falta? Para completar as asneiras, o Milton Neves arremata o cometário infeliz afirmando que o único e autêntico Atlético é o Mineiro. Ah, sei, senhor Milton, aquele que saiu depenado, temperado e assado aqui do Caldeirão?

Avise-me quando o seu autêntico Atlético chegar às Alterosas, senhor Neves, pois eu imagino que ele ainda deve estar vagando por aí, completamente perdido após o baile que levou do Atlético Paranaense. Para coroar a festa de pérolas que ambos cuspiram em pleno horário nobre de domingo em uma rede de televisão de qualidade com é a Record, o cavalheiríssimo Milton Neves afirmou que o Atlético Paranaense já ganhou o jogo contra o Juventude. Como disse o nosso técnico Levir Culpi em entrevista à Gazeta do Povo, podemos imaginar o clima em que vai ser disputada essa partida entre Atlético e Juventude, tudo por culpa de alguns irresponsáveis que julgam ter o direito de falar tudo o que querem. O senhor Godói, que foi um árbitro de nível médio e hoje julga que pode criticar seus colegas ainda em atividade, chegou a dizer que o relacionamento da diretoria do Santos com o Ricardo Teixeira é um, o do Petráglia é outro…O que quis exatamente dizer? Seria bom que explicasse o que tentou insinuar, com a mesma transparência e audácia com as quais venho redigir estas linhas.

Por que não mencionam a vila Belmiro, onde em qualquer joguinho de menor importância a torcida santista costuma atirar objetos ao gramado? Imaginem se isso acontecesse aqui na Baixada! Uma folha de papel jogada na lateral do campo significaria a perda do mando de algumas partidas. Portanto, sejam homens, senhores Morsa, Neves e Godói. Expliquem claramente qual é a sua intenção com tudo isso. Evitar que o Atlético vença o Campeonato? Isso apenas um time melhor do que o nosso pode fazer. Não será através de encrencas e fofocas plantadas na opinião pública através de uma imprensa de qualidade duvidosa que o rubro-negro vai deixar escapar o título. Há um velho ditado que sabiamente ensina: quem diz o que quer, ouve o que não quer….

Penso assim e defendo a tese de que esse tipo de imprensa não deveria mais existir no Brasil. Aqui há programas de nível, como o SportsCenter (ESPN), o Mesa Redonda da TV Gazeta, onde nenhuma agremiação esportiva é exposta a chacotas ou a ofensas. As agremiações esportivas devem ser respeitadas acima de tudo, posto que são elas as responsáveis pelo espetáculo. Sempre que presencio alguém usar a força da mídia para tentar denegrir a imagem de uma agremiação esportiva, recordo-me da vez em que o Márcio Guedes, um outro comentarista de conhecimento questionável, disse na telinha da Globo que o Atlético da época da dupla Assis-Washington era um time medíocre. Medíocre era chamá-lo de comentarista, isso sim. E por julgar que tal comportamento, quando vindo de um homem que deveria formar a opinião com responsabilidade, é passível de reprovação, venho conclamar a todos os torcedores do Clube Atlético Paranaense a registrar sua insatisfação com o programa Terceiro Tempo e com os cometários dos senhores Paulo Morsa e Mílton Neves e o ex árbitro de futebol Godói diretamente no endereço da Rede Record, cujo atalho envio com o presente texto: www.rederecord.com.br/institucional/contato.asp .

Manifestem-se, amigos Atleticanos. Não podemos permitir que o sucesso da nossa equipe seja embotado pelo que resta da imprensa marrom nos meios esportivos. Critiquem mesmo, pois estamos em uma democracia. A direção da emissora precisa sentir na própria pele o perigo do que está sendo feito por esses irresponsáveis, que deviam ir para a cadeia.

Por último, venho também pedir à Diretoria do Clube Atlético Paranaense para que se manifeste de maneira oficial contra esse tipo de abuso, pois é o nome do nosso rubro-negro que está sendo exposto aos comentários dessa turma de safados.



Últimas Notícias