14 out 2004 - 18h07

Opinião de Rogério Andrade

O colunista Rogério Andrade presta uma homenagem ao atacante Washington, artilheiro do Campeonato Brasileiro:

Washington vem aí….
por Rogério Andrade

…e o bicho vai pegar. Já escrevi algumas vezes sobre este talento humano chamado Washington e tantos outros colunistas já denunciaram sua admiração pelo nosso grande ídolo. Pois bem, acho que falar do “coração valente” nunca é demais. Resolvi escrever nos dias que antecedem ao clássico na Arena, pois foi neste mesmo templo e contra este mesmo adversário que Washington marcou sua volta aos gramados e emocionou milhares de atleticanos quando comemorou seu gol no centro do grande palco.

Washington é grande, é guerreiro, é persistente e, acima de tudo, é um grande vencedor. Vencedor da batalha e do desafio maior que é o desafio da vida. Viver, o que isto representa na vida de milhões de pessoas? Na verdade conseguimos dar verdadeira atenção e valor a esta maravilha chamada vida quando nos vemos em situações difíceis ou presenciamos alguma situação de saúde desagradável a nós mesmos ou aos que nos cercam. Muitas vezes, nestas horas, lembramos de Deus. Lembramos que existe um homem superior a todos nós, pobres mortais e semelhantes neste Universo único. Lembramos que somos humanos, independente de raça, credo, religião ou time de futebol.

Muitas vezes precisamos de exemplos vivos, fatos reais que nos fazem acordar para a nossa realidade, nos mostrando que nem tudo são flores. Em meio a um ano turbulento, ano em que as coisas não andavam bem para os lados da baixada, recebemos de presente um ser humano que chegou para aprender e muito nos ensinar. Um atleta que estava chegando sem condições de jogo, mas tínhamos certeza de que estava vivo, muito vivo e, além de demonstrar uma vontade imensa de voltar a jogar futebol, podíamos observar neste profissional uma vontade enorme de viver. Além de uma nova casa, um novo centro de treinamentos e novos projetos, Mário Celso Petráglia estava nos presenteando com mais um planejamento real, prestes a acelerar vários corações nas arquibancadas da Arena. O nome do presente: Washington Stecanela Cerqueira.

Independente de um final feliz com o título de campeão brasileiro pelo clube, Washington já é o grande campeão do Brasil. Se Washington está se sentindo bem por estar vivendo um ótimo momento no Atlético, se está bem porque lutou por isso, porque se esforçou para recuperar sua condição de voltar a jogar futebol e carrega dentro da alma este desejo de ser campeão pelo Atlético, é bom que ela saiba também que existe uma verdadeira legião de atleticanos admirando seu futebol, que se não é uma perfeição, torna-se belo quando a bola está envolvida por seus pés, principalmente quando tem a direção do barbante amarrado aos três mastros.

Estamos nos dias que antecedem ao clássico, mais um jogo chave do furacão e mais uma decisão entre todas que poderão nos levar ao bicampeonato brasileiro. Diante do Paraná Clube estaremos revivendo aquele momento mágico em que Washington voltou a marcar e a encantar. Neste momento importante e decisivo do futebol, por mais que os nossos pensamentos tentem desviar para outros assuntos, instalou-se uma espécie de “chip” em nosso cérebro chamado bicampeão brasileiro. Não se fala em outra coisa, pouco se pensa em outras coisas. Chego a pensar que agora nós precisamos muito deste título, não como prova de alguma coisa, pois o Atlético não precisa provar nada para ninguém, mas pelo simples fator “merecimento”.

Washington, mais do que nunca você faz parte deste planejamento e todos os atleticanos precisam muito de você. Precisamos do seu vigor físico, espetacularmente recuperado, precisamos de sua garra, de sua força, de sua teimosia e de sua humildade. Precisamos dos batimentos intensos de seu novo coração, desta vez cravado pelas marcas da paixão atleticana. Você aprendeu a gostar do Atlético e nós aprendemos a gostar de você. Entre em campo, nobre guerreiro, comemore seus gols novamente no centro do tapete da paixão, peça para os deuses do futebol nos darem ouvidos, bata como nunca ao lado esquerdo do seu peito e continue alimentando esta realidade muito próxima de mais um título nacional Nós contamos com você, nosso eterno e bravo “coração valente”.

Rogério Andrade é colunista da Furacao.com. Clique aqui para ler outros textos de sua autoria.

O conteúdo da opinião acima é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não expressa necessariamente a opinião dos integrantes do site Furacao.com.

Entre em contato com o colunista.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Era uma vez…..

…. um time que vencia mas não convencia. Um time que tinha alguns padrões bem definidos e que quase sempre se repetiam jogo após jogo:…