15 out 2004 - 17h34

Opinião de Juarez Villela Filho

Leia a opinião do colunista Juarez Villela Filho sobre a guerra de bastidores que o alvinegro praiano deu início esta semana.

Quem tem… tem medo
por Juarez Villela Filho

Pois é, peixe realmente morre pela boca! Quem diria, o time da mais famosa vila do mundo, o time estrelado pelo excelente Robinho, pelo eficiente Ricardinho e pelo polivalente Elano, todos dirigidos pelo indigesto mas competente Luxemburgo começando a ir pro vale tudo. Amigos santistas, ainda é cedo!

Insisto na tese de que o campeonato ainda está em aberto, que nada mais que um tropeço, talvez dois consecutivos não possam mudar. Nada que um perigoso São Caetano ou um renovado São Paulo não possam tirar de diferença, faltando ainda mais de 30 pontos para serem disputados.

Lendo a Folha de São Paulo de hoje fiquei espantado. Segue matéria da coluna painel:

O Santos oficializou a guerra fria contra o Atlético-PR. Seu departamento jurídico começou a procurar em fitas de jogos dos rivais imagens de torcedores arremessando objetos no gramado. Querem fazer denúncia ao STJD para que a Arena da Baixada seja interditada.

Guerra de guerrilha – A disputa nos bastidores é tão grande que, antes mesmo de a Vila Belmiro ser interditada por dois jogos, santistas espalhavam que o auditor Alexandre Quadros, do STJD, é conselheiro do Atlético-PR. A diretoria do time paranaense nega.

Mania de perseguição – Apesar do armistício proposto pelos paranaenses, Marcelo Teixeira não engoliu o painel instalado na Arena da Baixada em que há contagem regressiva para o bi. Agora, vê dedo do Atlético-PR até no rumor de que Robinho estaria sendo vendido. "Vou espalhar que quero o Dagoberto e o Washington", disse o cartola na Vila.

Por um lado fico contente, pois o Santos, do poderoso estado de São Paulo, da Meca do capitalismo tupiniquim, o estado com o maior mercado publicitário do país, com o maior índice de industrialização do Brasil, enfim, a capital nervosa da nação parece ter acordado para a realidade que se chama Clube Atlético Paranaense. Mas o desespero pode fazer até mesmo com que percam o vice-campeonato, cada vez mais próximo da Baixada Santista!
Nada justifica a má atitude, e triste conseqüência, de um torcedor santista, pois é perigoso generalizar e criticar todos, até mesmo por ter sido eu extremamente bem recepcionado quando fui ver o confronto entre os dois líderes do campeonato. Inclusive a torcida santista foi muito educada, deixando com que nós visitantes, pudéssemos gritar o jogo todo e muito mais alto do que eles.

Querer encobrir erros próprios com comparações inverídicas não é certo. O Santos não está mais numa fase tão boa, enquanto o Atlético tem crescido e quando não joga bem, como contra o Flamengo, Papai do céu parece estar nos ajudando. Querer influenciar as arbitragens como a imprensa paulista vem fazendo é ridículo. Há pouco mais de dois meses, foi o Atlético que mandou uma representação junto à CBF, acompanhada de fitas onde havia lances capitais em que o Furacão foi prejudicado. Nunca porém o Atlético quis prejudicar seus semelhantes, apenas buscou seus direitos.
O resto é choro de perdedor.

Juarez Villela Filho é colunista da Furacao.com. Clique aqui para ler outros textos de sua autoria.

O conteúdo da opinião acima é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não expressa necessariamente a opinião dos integrantes do site Furacao.com.

Entre em contato com o colunista.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Era uma vez…..

…. um time que vencia mas não convencia. Um time que tinha alguns padrões bem definidos e que quase sempre se repetiam jogo após jogo:…