O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
18 out 2004 - 21h55

Apelo à torcida atleticana

Ontem estive na Arena para presenciar o empate do Clube Atlético Paranaense com o Paraná Clube. Poderíamos ter ganhado e mantido os três pontos de vantagem sobre o Santos. Empatamos e perdemos uma boa chance de consolidar a liderança, visto que teremos jogos difíceis fora de casa e nosso craque Dagoberto estará fora do campeonato devido a lesão sofrida ontem.

Estamos fazendo uma belíssima campanha, a torcida está comparecendo, temos chances reais de levantarmos o bicampeonato. Mas não é sobre isto que me dirijo a grande nação rubro negra, tanto aos torcedores como aos dirigentes. Simplesmente é lamentável que continue ocorrendo o tratamento hostil, leviano e bairrista por parte da imprensa, principalmente paulista, com relação ao nosso querido rubro negro. Tudo bem que o Santos é o principal concorrente do Atlético na luta pelo bicampeonato, mas o que vem acontecendo está ultrapassando os padrões de ética, respeito e honestidade.

É vergonhosa a atitude de parte da imprensa de São Paulo, ao invés de valorizar time, campanha e estrutura do Atlético PR, prefere tentar a cada dia encontrar argumentos estapafúrdios para denegrir a campanha e prejudicar o Furacão.

Começou com a história de que o Atlético teria muitos pênaltis a seu favor. Na semana passada o programa Mesa Redonda da CNT mostrou todos os lances de pênalti a favor do Atlético. Não existe nenhuma dúvida em qualquer um dos lances, todos foram claríssimos e legítimos. Ainda podemos destacar que o Atlético teve uma série de prejuízos diretos das arbitragens, como pênalti não marcados contra Guarani, em jogo que terminou empatado, pênaltis inventados a favor de Flamengo e Figueirense, expulsão e pênalti inexistentes contra o Juventude, só para citar alguns poucos exemplos. Poderíamos só nestes exemplos possuir ao menos mais 6 pontos na tabela de classificação.

Liderados por profissionais de credibilidade discutível como o âncora da Record (aquele que se vende por qualquer tostão), um ex árbitro de carreira discutida , pseudo comentaristas como Morsa , um ex jogador corintiano que nunca foi um atleta, dentre outros, esta imprensa tendenciosa procura semanalmente motivos para criar um clima desfavorável com relação a arbitragem e o Atlético PR, sugerindo benefícios, mostrando cenas pedindo a interdição da Arena e procurando não admitir o excelente trabalho realizado pelo rubro negro paranaense. Além disso criam um clima de desconforto para os jogos do Furacão, o que acaba prejudicando o desenrolar dos jogos, pois a arbitragem já entra em campo com o objetivo de em caso de lance duvidoso não marcar a favor do Furacão, tendenciosa neste sentido, para que depois lances polêmicos não sejam exaustivamente mostrados nos programas de TV. Não queremos benefícios, apenas a imparcialidade. Sentimos na pele este tipo de situação prejudicial nos três últimos jogos.

Contra o Atlético – MG, Dagoberto foi agredido covardemente por dois atletas do Galo e estes não receberam nem cartão amarelo, Bozzano fez vistas grossas. No mesmo jogo inverteu faltas e amarelou o jogador Jadson em um lance de substituição, com o Atlético PR ganhando por 4×0, sendo que este não sabia que iria ser substituído e não havia motivos para cera com o placar tão favorável, o que acabou tirando-o do jogo seguinte, contra o Juventude. Depois de tudo isto, vemos insinuações no programa da Record que O sr. Bozzano seria parente de um jogador das categorias de base do Atlético e teria favorecido o furacão. Peguem a fita do jogo e analisem para verificar quem foi beneficiado no mesmo. Contra o Juventude, o juiz carioca apelidado de Michael Jackson marcou um pênalti ridículo contra o Atlético e expulsou injustamente o jogador Marcão, em lance que originou o terceiro gol da equipe de Caxias. Ontem na Arena, o sr. Paulo César de Oliveira procurou a todo momento enervar os jogadores rubro negros, marcando faltas inexistentes e não usou o mesmo critério de cartões amarelos para as duas equipes.

O apelo que aqui faço é para que não nos rendamos a este jogo sujo e covarde, e sim cada vez mais apoiemos nosso Furacão rumo ao bicampeonato. Ontem chegamos ao cúmulo de no programa esportivo da Record ligarem para o sr. Luis Sveiter, mostrando cenas de copos de plástico que não atingiram ninguém no jogo com o galo mineiro na arena, e cobrando a interdição imediata da Arena, em uma falta de ética e desrespeito total ao Clube Atlético Paranaense, pois o Santos, reincidente no campeonato e com profissionais atingidos na Vila Belmiro, foi punido. Lembro ainda que o apresentador deste programa a poucos dias foi homenageado pela direção rubro negra, que se engana ao achar que o mesmo irá tratar o Furacão com o devido respeito que merece. O técnico de uma equipe que briga com o Atlético pela ponta da tabela, que não tem ética nem para confirmar seus dados de nascimento, tem disparado o verbo contra o Furacão, dizendo que o que ocorreu na Vila ocorre a todo o jogo na Arena, em mais um prova de falta de ética, inverdades e acusações ao rubro-negro.

Cabe a nós atleticanos boicotarmos completamente este tipo de imprensa e programas que só denigrem a imagem do nosso Furacão. Não devemos aceitar isto e ao mesmo tempo temos que privilegiar programas sérios, honestos que mostram as verdades sem manipulação, evitando ludibriar o telespectador menos informado. Espero que nossa diretoria também se movimente para assumir uma postura de total repúdio a este movimento que está acontecendo por parte de profissionais da imprensa de São Paulo, que cada vez mais se desesperam ao verificar que a nova ordem do futebol brasileiro não se apega a tradições, títulos passados, mas sim a trabalho, competência, honestidade e profissionalismo.

Vamos lutar até o fim, mostrar a todos que o Furacão pode chegar ao bicampeonato. É o que todos nós, rubro negros de corpo e alma desejamos e torcemos, e vamos tentar contribuir de todas as formas para que isto vire realidade. Faltam dez jogos, vamos dar um tapa de luvas na imprensa paulista, não a toda a ela , mas aqueles que usam a mídia para defender interesses alheios e mascarar a verdade dos fatos. Cabe a nós a ação de fiscais das cores do Atlético, reprimindo manifestações como estas e apoiando juntos nosso time. Nós que fazemos parte da torcida, e também os dirigentes e jogadores devemos nos unir para que o sonho do bi fique cada vez mais próximo. Como seria fantástica mais esta conquista, contra tudo e contra todos, consolidando o Atlético como a maior equipe do atual futebol brasileiro, que não vive de bastidores e passado, mas sim de trabalho e conquistas recentes, amparados pela melhor estrutura de futebol do país.

Saudações rubro-negras!



Últimas Notícias