21 nov 2004 - 20h55

Washington concedeu coletiva após o jogo

Quando recebeu a notícia de que não estava apto para jogar futebol, em maio do ano passado, o atacante Washington mal poderia imaginar a volta que sua vida daria. Neste domingo, exatamente um ano e meio depois de iniciar um tratamento para voltar a jogar, Washington atingiu a marca mais alta que um artilheiro pode sonhar. Com os dois gols marcados contra a Ponte Preta, ele se tornou o maior goleador da história do Campeonato Brasileiro.

Confira a coletiva do atacante concedida após a vitória do Atlético sobre a Ponte Preta:

Respeito e humildade
"Vou fazer o máximo e o possível para ajudar a minha equipe a conquistar esse título. Você tem que ter sempre um objetivo na vida e buscar ultrapassá-lo. É muito importante também respeitar o próximo, porque com certeza você também será respeitado. Eu sou uma pessoa simples e sempre vou ser, nunca vou mudar. Quero sempre tratar as pessoas bem, porque essa é a minha maneira de ser. Se eu for campeão do mundo ou o que for, vou continuar sendo simples e reconhecer os meus amigos".

Ponte Preta
"Hoje tive essa felicidade de fazer dois gols, mas eu tenho um respeito muito grande pela torcida da Ponte Preta. Não comemorei em respeito a eles, porque eu vesti essa camisa com muito orgulho. Eles sabem do esforço que eu tive quando joguei aqui, o carinho é totalmente recíproco. Estou muito feliz e agradeço a eles hoje pelo carinho que recebi. Agradeço também a minha torcida que hoje é a do Atlético Paranaense".

Atlético
"Eu agradeço muito a Deus, a minha família e aos meus companheiros de equipe. Eles estão me ajudando e me ajudaram muito para que eu entrasse para a história e quebrasse esse recorde. Vou estar sempre ajudando e fazendo o máximo para ajudá-los também, tenho a certeza de que seremos muito felizes no final com esse título".

Limites
"Para o ser humano não há limites, nós temos que superar sempre os obstáculos. Meu limite esse ano é o título do Brasileiro, é o que falta para o meu compromisso no Atlético. A minha missão será cumprida quando eu comemorar com os meus companheiros e com a torcida, levantando a taça de campeão".

Perseverança
"Eu imaginava que eu fosse conseguir tantas coisas como eu consegui, mas não de uma forma tão rápida como foi. Eu fiz de tudo para voltar bem e fazer o que eu vinha fazendo, ter aquela seqüência que eu estava tendo antes dos meus problemas. Tive muita perseverança e força de vontade".

Objetivos
"O que mais importa é esse número, esse dois pontos de vantagem que temos sobre o Santos, e não a artilharia. Eu sempre falei que o meu objetivo é o título e vou lutar até o fim para conquistá-lo".

Colaboração: Marçal Justen Neto



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Era uma vez…..

…. um time que vencia mas não convencia. Um time que tinha alguns padrões bem definidos e que quase sempre se repetiam jogo após jogo:…