1 dez 2004 - 22h53

Solte o grito da garganta e ajude o Furacão

Depois de 224 dias, 43 jogos e 4.068 minutos jogados, chegou a hora. Depois de 87 gols marcados, 52 sofridos, 117 cartões amarelos e 4 vermelhos, chegou a hora. Depois de vibrar nas incríveis goleadas sobre o Corinthians (5 a 0) e Goiás (6 a 0), respirar aliviado nas viradas sobre Flamengo (2 a 1) e Fluminense (2 a 1), orgulhar-se dos triunfos sobre Coritiba (2 a 1) e São Caetano e passar raiva contra Juventude (3 a 3) e Grêmio (3 a 3), finalmente chegou a hora.

Daqui a três dias, o Clube Atlético Paranaense entrará em campo para fazer sua partida mais importante neste Campeonato Brasileiro. O jogo decisivo, fundamental para a conquista do título. Quando as camisas rubro-negras surgirem na porta do vestiário da Arena da Baixada, todos terão a certeza de estarem prestes a presenciar um momento histórico.

O adversário já está definido. Será o São Caetano, atual quarto colocado do Campeonato Brasileiro e vice-campeão sul-americano em 2002. Mas para nós, atleticanos, o time dispensa apresentações. Basta dizer o seguinte: o São Caetano de 2001. Não é necessário explicar. Pronunciado em voz alta, o nome traz boas lembranças, que se transformam em bons fluidos. Jogar contra o São Caetano remete ao Brasileiro de 2001 e tudo de bom que aconteceu naquele ano. Assim será no domingo.

É o jogo mais importante do ano. Já foi dito, mas não custa repetir. O jogo mais importante é sempre o próximo, dirão. De fato, o mais importante é o que está por vir. Agora, o jogo mais importante é o do São Caetano. Na segunda-feira, passará a ser o do Vasco. Depois do dia 12, será o do Botafogo.


A torcida vai ser muito importante no domingo.

Mas isso não é o suficiente. O jogo contra o São Caetano não é o mais importante só porque é o próximo. Há também todas as circunstâncias que envolvem esse jogo. Primeiro, será um jogo do Atlético na Arena da Baixada. Só por isso, é imperdível. Depois, o melhor time brasileiro da temporada estará em campo, com craques do quilate de Washington, Jadson, Fernandinho, Diego, Denis Marques, Alan Bahia, Marinho, Rogério Corrêa, Marcão, Pingo e Ivan. Além disso, será imediatamente posterior ao jogo contra o Grêmio. Vencer é fundamental para retomar a confiança.

Cada um faz a sua parte

Como jogo mais importante do ano, é preciso que tudo seja perfeito. Os jogadores estão se preparando de forma adequada. Os treinos foram puxados, todos estão concentrados na partida e motivados para vencê-la. Além disso, a atenção foi redobrada e vontade não irá faltar. Para melhorar a condição de todos, a concentração foi antecipada para sexta-feira.

Resta agora que a torcida faça a sua parte. Vários fatores determinam o resultado de uma partida. Infelizmente, não podemos controlar todos eles. Ou pior, só podemos controlar um deles: a influência da torcida. Então, nossa responsabilidade é fazer a nossa parte de modo bem feito. Fazer o que está ao nosso alcance e até o que parece inalcançável.

A tarefa de toda a nação atleticana começa nesta quinta-feira, comprando os ingressos para a partida. Se você ficou em casa durante todo o ano, chegou a hora de ajudar. Se estava esperando o jogo certo para ir à Baixada, informamos que chegou o momento. Se você tem ido regularmente, certamente não irá perder o melhor da festa.


Pinte a cara: vale tudo para ajudar o Furacão.

A compra antecipada de todos os ingressos colocados à venda representará um fator extra de confiança ao elenco. Certamente, será tema de conversa entre os jogadores e os motivará mais ainda para entrarem em campo 100% ligados. Portanto, além de comprar sua entrada, convide um amigo. Ligue para os amigos de verdade (pois os de verdade são atleticanos, certamente) e os convoque a irem ao jogo.

Mas nossa missão está apenas começando. Ela continuará com uma postura positiva durante o jogo de domingo. Cantando desde antes do início da partida, incentivando os jogadores e colocando pressão sobre o adversário. Aliás, nesse quesito, nem é preciso insistir muito. Basta pedir um pouquinho de paciência a cada um. O resto é só deixar com a massa rubro-negra. Não se ensina um atleticano a torcer porque simplesmente não é preciso. É algo que nasce com a condição atleticana.

Por fim, mais dois recados, ambos importantes: a) não jogue absolutamente nada em campo (lembre-se que ainda teremos mais um jogo na Arena) e oriente os torcedores próximos a não extravasarem suas emoções com esse tipo de atitude; b) se alguém por acaso cometer essa loucura, contenha a raiva e não desconte no sujeito, apenas identifique-o aos responsáveis.

Com isso, está terminada a fórmula para o jogo ideal. Basta colocar em prática tudo isso e mais um pouco, vai da criatividade de cada um. Tudo o que vier para ajudar, será muito bem-vindo.

E que se faça valer a máxima: não pergunte o que o Atlético pode fazer por você; pergunte o que você pode fazer pelo Atlético.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Era uma vez…..

…. um time que vencia mas não convencia. Um time que tinha alguns padrões bem definidos e que quase sempre se repetiam jogo após jogo:…