8 dez 2004 - 21h18

Atlético ameaça deixar o Clube dos Treze

Fonte: UOL Esportes – A divisão da cota de televisão para os clubes do Campeonato Brasileiro provocou um racha no Clube dos 13. A promoção do valor destinado ao Santos, defendida pela diretoria da entidade, pode causar um desmembramento definitivo do grupo.

Na reunião na tarde desta quarta-feira em São Paulo para discussão de valores para 2006, 2007 e 2008, sete clubes anunciaram o desligamento do Clube dos 13, acenando com a possibilidade da criação de uma nova entidade: Cruzeiro, São Paulo, Flamengo, Fluminense, Botafogo, Atlético-PR e Vitória.

De acordo com Zezé Perrella, vice-presidente de futebol do Cruzeiro, o motivo da saída dos sete clubes se deu à forma truculenta como foi conduzida a reunião e à insistência em se votar e aprovar a criação de um grupo intermediário no que se refere à divisão das quotas destinadas pela TV Globo, no qual foi incluído o Santos.

"O que não estamos dispostos a aceitar mais é a diretoria atual do Clube dos 13 pela sua truculência", afirmou o dirigente, em entrevista à Rádio Itatiaia.

"Com isso vamos ver se a gente vai formar uma nova associação ou ver o que podemos fazer, mas o que não dá é para conviver com essas coisas que estão acontecendo", completou Zezé Perrella, que também afirmou que há a possibilidade de Atlético-MG e Corinthians também deixarem a entidade.

Pivô do imbróglio na cúpula da direção do Campeonato Brasileiro, o Santos se pronunciou sobre o caso através de sua assessoria de imprensa. O clube, que foi representado na reunião pelo gerente operacional Dagoberto dos Santos, afirmou que pleiteava a entrada no grupo que recebe a maior cota. Mas, mesmo posicionado um estágio abaixo, não pretende criar um mal-estar na entidade.

Pela definição tomada na reunião, Atlético-MG, Cruzeiro, Botafogo, Fluminense, Internacional e Grêmio foram relegados ao Grupo 3 e receberão R$ 15 milhões cada, Os clubes do Grupo 1 – Flamengo, Vasco, Palmeiras, Corinthians e São Paulo -, receberão R$ 21 milhões. O Santos ficou sozinho no Grupo 2, com direito a R$ 18 milhões. Os clubes mineiros votaram contra essa proposta, ambos reivindicavam R$ 18 milhões.

O Bahia, que integrava o grupo 3, caiu para o grupo 4, onde está sozinho, e receberá R$ 11,5 milhões. O grupo 5 ficou constituído por Atlético-PR, Coritiba, Sport, Portuguesa, Goiás e Vitória, com cada um recebendo R$ 11 milhões.

A proposta foi aprovada por 28 votos contra 25 (os clubes contam com pesos diferentes na votação). Mustafá Contursi, presidente palmeirense e vice no Clube dos 13, foi responsável por conduzir o encontro. Palmeiras e Vasco lideraram o bloco que aprovou o acordo.

Um dos líderes da debandada de clubes, Zezé Perrella assegurou a diferenciação no valor em favor do Santos foi imposta pela direção da entidade.

"O Santos teve um aumento de 67% nos valores que recebeu ano passado, o nosso grupo teve aumento de 35% e o grupo 1 teve crescimento de 47%. Houve um descontentamento", declarou o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, que lamentou os votos favoráveis ao Santos de Coritiba, Goiás, Internacional e Grêmio.

A divisão política desencadeada pela saída de Flamengo e São Paulo escancara a disputa pela disputa pelo controle do Clube dos 13. Os dois clubes gostariam de ver Juvenal Juvêncio, vice de futebol são-paulino, no lugar de Fábio Koff, ex-presidente do Grêmio. Mas a decisão do atual presidente de se reeleger acabou com qualquer possibilidade de uma nova liderança.

Márcio Braga, presidente do Flamengo, também tornou pública a queda-de-braço com o rival Eurico Miranda, mandatário do Vasco, que já se desligou da entidade. Nesta quarta, durante a reunião, o dirigente rubro-negro defendeu a saída do clube rival do Grupo 1, que recebe mais dinheiro da televisão.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Obrigado, Alberto!

Alguns vão julgar, “Cedo demais”… Mas para mim, já Deu!!!! Alberto Valentim: O LATERAL DIREITO, jamais será esquecido e estará entre os maiores camisas 2…