8 dez 2004 - 11h38

Opinião de Bruno Rolim

O colunista Bruno Rolim descreve os lances em que houve erros de arbitragem que prejudicaram o Atlético neste Campeonato Brasileiro:

Erros
por Bruno Rolim

Fala-se muito em setores baixos da imprensa nacional sobre um suposto esquema para beneficiar o Atlético, em detrimento do Santos. Comentam sobre os gols anulados do Santos, sobre as penalidades para o Atlético, mas muitas destas pessoas sequer assistiram à meia dúzia de partidas do Atlético, se baseando em compactos editados de forma extremamente tendenciosa.

Abaixo, realizei um exercício de hipóteses e fatos, apenas para diversão – para todos os leitores, os lances nos quais o Atlético foi prejudicado pela arbitragem – se você for torcedor de qualquer uma das outras 22 equipes (sim, pois os erros contra o Atlético estão aqui, e os erros contra o Santos ninguém mais agüenta ouvir), e quiserem relatar os erros contra sua equipe, o espaço é aqui:

Rodada 5 – 8 de maio – Guarani 0x0 Atlético
pênalti claro não marcado sobre Fernandinho, comprovado através do replay. Prejuízo: 2 pontos, 1 gol de saldo e 1 vitória.

Rodada 9 – 13 de junho – Flamengo 3×0 Atlético
o primeiro (falta sobre o goleiro Diego), o segundo (impedimento e falta cobrada com a bola rolando) e o terceiro (impedido) gol do Flamengo foram irregulares. Prejuízo: 1 ponto, 3 gols de saldo.

Rodada 10 – 19 de junho: Atlético 1×3 Vitória
o Vitória, mesmo tendo cometido 49 faltas, teve apenas 1 expulso. Um jogador da zaga do time baiano teve 14 faltas cometidas, e tomou o amarelo a 3 minutos do fim do jogo.

Rodada 18 – 24 de julho – Criciúma 4×1 Atlético
gol do Atlético anulado, com 2×1 no placar para o Criciúma. Imagens comprovaram o erro da arbitragem. Prejuízo: 1 ponto, 3 gols de saldo.

Rodada 19 – 28 de julho – Atlético 4×0 Ponte Preta
quatro pênaltis não marcados para o Atlético (em um deles o Dagoberto foi expulso). Prejuízo: 4 gols de saldo.

Rodada 25 – 18 de agosto – Figueirense 1×1 Atlético
o gol do Figueirense saiu de uma penalidade absurda – Alan Bahia matou a bola na coxa e o juiz marcou pênalti. Prejuízo: 2 pontos, 1 gol de saldo e 1 vitória.

Rodada 29 – 8 de setembro – Santos 1×1 Atlético
impedimento absurdo de Jadson marcado, em uma jogada clara de gol. O Santos teve um lance a seu favor, idêntico – mas se o Atlético marcasse primeiro, o lance santista não chegaria a acontecer. Prejuízo: 2 pontos, 1 gol de saldo e 1 vitória.

Rodada 35 – 7 de outubro – Juventude 3×3 Atlético
pênalti inexistente para o Juventude, do qual saiu o primeiro gol gaúcho. Cartões amarelos indevidos para Fabiano e Marcão (em nenhum dos lances houve falta). Expulsão de Marcão pelo segundo amarelo. Prejuízo: 2 pontos, 1 gol de saldo e 1 vitória.

Rodada 36 – Atlético 1×1 Paraná
com 1×0 no placar, impedimento inexistente de Fernandinho em chance clara de gol marcado. Prejuízo: 2 pontos, 2 gols de saldo e 1 vitória.

Rodada 37 – 23 de outubro – Palmeiras 3×1 Atlético
com 2×1 para o Palmeiras, pênalti não marcado sobre Washington. Prejuízo: 1 ponto e 2 gols de saldo.

Rodada 38 – 26 de outubro – Goiás 2×0 Atlético
o Goiás, com 38 faltas cometidas, sequer havia recebido cartões amarelos. Mas nenhuma jogada capital onde o árbitro tenha falhado.

Rodada 43 – 28 de novembro – Grêmio 3×3 Atlético
gol legal anulado de Washington, com 0x0 no placar. Pênalti claríssimo não anotado sobre Washington, com 3×0 no placar. Prejuízo: 2 pontos, 5 gols de saldo e 1 vitória.

Rodada 44 – 5 de dezembro – Atlético 5×2 São Caetano
no primeiro tempo, o lateral Triguinho, do São Caetano, colocou a mão na bola deliberadamente. O jogador tinha cartão amarelo, não foi expulso. O jogo estava 0x0.

Penalidades: o Atlético já teve marcadas 9 penalidades contra a equipe (das quais 3 inexistiram, contra Figueirense, Vitória e Juventude). O Santos teve apenas 3 penalidades marcadas contra (vale lembrar que, contra o Flamengo, um zagueiro santista desviou uma bola com o braço e nada foi anotado), mas isto não parece interessar aos santistas…

Aqui houve falhas em 13 partidas. Isto não quer dizer que haja um esquema contra o Atlético (como muitos santistas acusam a CBF de agir contra). Se, em um exercício de matemática, fôssemos somar esses erros, o Atlético teria 15 pontos a mais, tendo 100 pontos. Mas, assim como houve erros contra, houve erros a favor. Mas não é isto que os santistas querem provar. Se o Atlético teve um pênalti mal anotado contra o Cruzeiro, o Santos teve um pênalti absurdo contra o Internacional.

E tenho certeza que nossos colegas são-paulinos (quando não expulsaram o Alexandre Gaúcho, no jogo contra o Figueirense), corinthianos, palmeirenses, gremistas (o jogo contra o Palmeiras), flamenguistas (o pênalti não anotado contra o Coritiba), vascaínos, coxas (o gol irregular do Petkovic) têm muitos erros contra as suas equipes. Isto reflete um mau nível dos árbitros, mas nunca um suposto esquema para favorecer este ou aquele.

Isto, para mim, parece ser choro de mau perdedor.

Bruno Rolim é colunista da Furacao.com. Clique aqui para ler outros textos de sua autoria.

O conteúdo da opinião acima é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não expressa necessariamente a opinião dos integrantes do site Furacao.com.
Entre em contato com o colunista.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Era uma vez…..

…. um time que vencia mas não convencia. Um time que tinha alguns padrões bem definidos e que quase sempre se repetiam jogo após jogo:…