19 dez 2004 - 16h25

Vice-campeão. Com orgulho

Apesar de não conquistar o campeonato brasileiro de 2004, o torcedor atleticano termina o ano feliz. O time conseguiu participação na Copa Libertadores da América do próximo ano e entrou, definitivamente, no hall dos grandes clubes nacionais.

Servindo de exemplo para outros centros, o Furacão criou uma estrutura invejável e que começou a dar resultado, por isso mesmo com o empate de 1 a 1 contra o Botafogo, a massa Rubro-negra não deixou de parabenizar os jogadores vice-campeões nacionais.

O jogo

Quem pensou que o Atlético iria com tudo para cima do Botafogo, se enganou. O time Rubro-negro pecou pelo excesso de passes errados e pela individualidade dos jogadores. Por duas vezes Washington deixou de servir Denis Marques e Jadson, para o desespero do torcedor. Já os cariocas partiam fora de ordem para o ataque e, mesmo assim, conseguiram assustar Diego. Túlio e Caio perderam as melhores oportunidades. Na primeira, o goleiro atleticano fechou bem o ângulo e na segunda foi a trave quem salvou o Atlético.

A partida caiu muito de produção depois dos trinta minutos. Apesar dos alto-falantes da Arena da Baixada não anunciarem os dois gols do Santos, contra o Vasco, os jogadores paranaenses não tinham inspiração. Antes do intervalo a última chance foi do Rubro-negro, mas Fernandinho chutou por cima do gol de Jeferson.

Alucinante

A torcida do Atlético continuou acompanhando pelo radinho a partida entre Santos e Vasco. E as informações que chegavam de São José do Rio Preto não eram nada boas. O Peixe mantinha os 2 a 0 e dificilmente perderia o Campeonato Brasileiro. Mesmo assim a empolgação nas arquibancadas da Arena da Baixada era grande.

No gramado o Furacão voltou para o segundo tempo com a mesma formação e com dificuldades para se infiltrar na área do Botafogo. Já o alvinegro passou a pressionar. Alex Alves e Scwenck perderam ótimas chances de abrir o placar. Do lado atleticano, Washington e Denis Marques continuaram a disperdiçar. Um ataque carioca, aos 22 minutos, foi fatal: Schwenck aproveitou um cruzamento da direita e só desviou para dentro das redes. O Atlético tentou o empate logo em seguida com Denis Marques, mas Jeferson fez uma excelente defesa.

Enquanto isso, em Rio Preto, o Vasco fazia o primeiro gol. A torcida atleticana foi ao delírio, mas mesmo a dificuldade de chegar ao empate era grande. Sem inspiração, o meio-campo sofria com a forte marcacão do Botafogo. Só que depois de uma escapada pela esquerda, Marcão cruzou na cabeça de Washington, que fez o trigésimo quarto gol dele no Brasileirão.

A partir deste lance o técnico Bonamigo recuou o Botafogo e o time carioca passou a chutar a bola para qualquer lado. Com o apito final do árbitro gaúcho Carlo Eugênio Simon, o alvinegro comemorou a permanência na primeira divisão em 2005 e o Atlético sagrou-se vice-campeão brasileiro.

46ª rodada – Brasileiro – (19/12/04) – Atlético 1 x 1 Botafogo
L: Arena da Baixada; H: 16h; A: Carlos Eugênio Simon (RS); CA: Marinho (15′), Rogério Corrêa (16′), Ruy (16′), Alex Alves (35′), Jadson (63′), Schwenck (67′), Túlio (69′) e Alan Bahia (71′) P: 20.061 ; R: n/d; G: Schwenk, aos 22, e Washington, aos 33 do 2º.

ATLÉTICO: Diego; Fernandinho, Marinho, Rogério Corrêa, Marcão e Ivan (Morais 55′); Fabiano (Pingo 55′), Alan Bahia e Jadson; Washington e Denis Marques. T: Levir Culpi.

BOTAFOGO: Jefferson; Ruy, Gustavo, Scheidt e Jorginho Paulista; Fernando, Túlio, Valdo e Caio (Ricardinho 62′); Schwenck (Tiago Xavier 90′) e Alex Alves (Almir 81′). T: Paulo Bonamigo.



Últimas Notícias