11 jan 2005 - 18h17

Pode ser Mior

A diretoria ainda não anunciou oficialmente e continua mantendo o suspense sobre quem será o técnico do Atlético para a temporada 2005. Porém, é certo que já houve tratativas com diversos treinadores sul-americanos. Os presidentes Mario Celso Petraglia e João Augusto Fleury da Rocha estão em São Paulo para bater o martelo e assinar o contrato.

O nome mais cotado é o do desconhecido Casemiro Mior, atual técnico do Nacional da Ilha da Madeira. Em Portugal, já se anunciou que Casemiro recebeu uma proposta do Atlético e que pode deixar o clube nas próximas horas. Há alguns dias, o colunista Hiltor Mombach, do Correio do Povo, havia dado pistas de que Casemiro poderia assumir o Furacão.

Fleury disse à Furacao.com que o novo técnico ainda não está definido. "Naquelas brincadeiras em que está frio ou quente, diria que vocês estão morno", brincou. O novo treinador deve ser anunciado até sexta-feira, prazo estabelecido pela diretoria científica do Rubro-negro. "Nós queremos apresentar todos os jogadores com a nova comissão técnica. O tempo está sendo cumprido à risca", garantiu Fleury.

Saiba mais sobre Casemiro

Casemiro Mior é gaúcho de Serafina Correa em 7 de janeiro de 1958 e foi lateral-esquerda do Grêmio, do Internacional e da Inter de Limeira. No tricolor gaúcho, foi dirigido por Luiz Felipe Scolari, de quem se tornou grande amigo e em quem se inspirou. Começou sua carreira como técnico em 1990, dirigindo a Internacional de Limeira. Depois, passou pelo 15 de Novembro de Campo Bom, Guarani de Venâncio Aires, Chacao da Venezuela e Veranópolis. Depois, trabalhou ainda no futebol chinês e no Rio Claro.

Quando estava na China, em 2002, teve a oportunidade de estreitar a relação com Felipão. Foi ele quem forneceu informações sobre a seleção chinesa, adversária do Brasil na Copa do Mundo. "Passei-lhe informações da China, que eu conhecia bem pois já trabalhava lá há quatro anos", conta o técnico.

Em julho do ano passado, Mior foi contratado pelo Nacional da Ilha da Madeira – o time é o segundo principal da Ilha, atrás do Marítimo. Foi indicado por Luiz Felipe Scolari e obteve grande sucesso. Dirigindo um time de pretensões modestas, Casemiro levou o clube à Copa da UEFA, um feito histórico.

"Minha ligação com o Felipe já vem de muito tempo. Em 1987, eu jogava no Grêmio e ele foi meu treinador e mantivemos uma boa ligação quando parei de jogar e segui a carreira de treinador. Estivemos sempre em contato", disse Casemiro quando foi contratado pelo time português.

Foi o padrinho Felipão quem indicou Casemiro à diretoria atleticana. Aliás, o atual técnico da seleção portuguesa já participou decisivamente da contratação de um treinador do Atlético. Em 2002, Gilson Nunes foi contratado graças a uma indicação de Scolari.

Se confirmada, a contratação de Casemiro de fato causará impacto, já que ele é desconhecido no futebol brasileiro. De todo modo, cumprirá a promessa da diretoria atleticana. "Será uma surpresa para todos", afirmou o supervisor Antonio Carlos Gomes há alguns dias.

Fortemente inspirado por Felipão, Casemiro se define como um técnico trabalhador e estudioso. Para ele, um bom treinador deve ter sensibilidade, caráter, liderança e disciplina. É isso o que ele pretende implementar nos clubes em que dirige.

Repercussão

O anúncio da provável saída de Casemiro Mior do Nacional da Ilha da Madeira trouxe reações antagônicas entre os torcedores do clube. A maioria acredita se tratar de um ato de "ingratidão" do comandante, que foi "bancado" pelo presidente do clube nos momentos difíceis atravessados durante a temporada. Outros acreditam que é o melhor para o time, que poderá ir em busca de um novo ânimo para os jogadores na disputa da Taça de Portugal.

"Não gosto da palavra ingratidão! Tenho a certeza que o Presidente agüentou o treinador e também sei que existiram muitas vozes críticas e queriam a mudança de treinador. Recebeu um convite (o primeiro talvez), quer sair! Na minha opinião saía antes do jogo da Taça de Portugal!", disse um torcedor no principal Fórum de discussão do clube na internet.

Outro acredita que a vinda para o Atlético pode ser uma prova de reconhecimento pelo trabalho do técnico: "as pessoas são profissionais, jogadores e técnicos. Se vier uma melhor proposta é lógico que aceitam. O Mior é um profissional e tem que procurar o que é melhor para ele e sua família. Da minha parte é assim: prefiro que o Mior fique porque é o meu treinador. Se decidir ir, agradeço-lhe por ter-me dado as maiores alegrias que já tive no Nacional e por ter levado a nossa equipa ao melhor lugar de sempre duma equipa madeirense. E, por fim, desejo-lhe toda a sorte do mundo para onde quer que vá. Se há algo que não sou é ingrato ou incoerente!!", escreveu.

Outras opiniões

No Fórum Nacional Madeira tem vários comentários a respeito do desempenho de Casemiro Mior no comando do time. Confira algumas mensagens:

Tito Velosa (11/01/05): se for para estar sempre aturando a ingratidão de alguns adeptos nacionalistas….faz ele é bem em ir embora para outro clube… Ele está cá…estão sempre dizendo mal e desejando que se vá… ele vai….chateiam-se… e o chamam de ingrato….e que vai abandonar o navio…. Haja paciencia para ser treinador…… Parece que só se satisfazem se ele for despedido e não ir de livre vontade…

Nunopereira (11/01/05): O verdadeiro jogo é este: O nosso CDN esteve varios jogos sem ganhar fora de casa…! A primeira vitória foi Domingo, após longo período de jejum… O "Mister" colocou os Portugueses, apareceram as vitórias e os convites de outros clubes para Mior sair. Ainda vão ouvir dizer que após os primeiros convites chegados das "Terras de Vera Cruz", ele vai embora… Isto será ingratidão? Cada um que pense à sua maneira… Tiveram tanto tempo para colocá-lo no meio da rua…!

Shneva (07/12/04): Embora não seja apologista das chicotadas psicológicas, penso que o Nacional precisa neste momento de um treinador que tenha a coragem de assumir toda a gestão dos assuntos respeitantes ao futebol profissional e não deixar o presidente (que embora seja um excelente gestor do clube não percebe nada de futebol) interferir nessa gestão, tal como fez Peseiro quando chegou ao clube. (…) Embora considere Mior um treinador tácticamente bom, acho que na gestão do plantel está a ter muitos problemas, consequência dos factos acontecidos já na época passada e que os resultados taparam muitas dessas falhas. Volto a reforçar, na minha opinião o Nacional precisa neste momento de um treinador que se imponha e assuma toda a gestão do futebol (principalmente na politica de contratações). A Direcção deve assumir a gestão do clube, e deixar o futebol profissional ser gerido por quem sabe e percebe de futebol.

Nunopereira (07/12/04): O Mior é o treinador ideal para o Nacional? Não! O que deveriam ter feito era agradecer o 4º lugar (que para mim não foi dele) e mandá-lo para Maceió!

Jordau (06/12/04): Na minha opinião o Mior tem feito o possível! Trazer outro treinador, se calhar, só vai agravar a situação financeira do clube. Por mim, e parece-me que é por aqui que a nossa direcção vai caminhar, antes de chicotear deveriamos reavaliar e reajustar a equipa em dezembro/janeiro, proporciona outras condições de trabalho (treino) aos nossos profissionais e voltar a reavaliar; se não melhorarmos como equipa e nos resultados então…!

Colaboração: Patricia Bahr, do conteúdo da Furacao.com e integrantes do Fórum da Furacao.com



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Era uma vez…..

…. um time que vencia mas não convencia. Um time que tinha alguns padrões bem definidos e que quase sempre se repetiam jogo após jogo:…