13 jan 2005 - 17h34

Opinião de Juliano Ribas

Aposta Ousada
por Juliano Ribas

O Atlético mais uma vez surpreende. Mas não dá para saber se a surpresa é boa ou ruim. Cria apenas uma enorme expectativa. A partir da semana que vem, passaremos a assistir o trabalho de Casemiro Mior.

O novo comandante vem muito bem recomendado, por Luiz Felipe Scolari, inclusive, mas é ainda de pouca experiência se comparado a outros treinadores que atuam no Brasil. Vem de uma "escola gaúcha" da nova geração de técnicos, que tem nomes como Bonamigo e Ivo Wortmann. Aliás, quando jogador, atuou em um time vencedor, o Grêmio de 1981 a 1983, Campeão Brasileiro, da Libertadores e do Mundo. E daquele time, saíram outros treinadores, como Leão, De León, o já citado Bonamigo, Mário Sérgio e Renato Gaúcho. Chegando a uma equipe de ponta como o Atlético, Casemiro junta-se a eles passando a ser conhecido no Brasil como técnico. A torcida começa agora para que seu nome entre para a história em vez de ser esquecido.

Em Portugal, Casemiro marcou época levando uma equipe modesta ao quarto lugar nacional e à Copa da Uefa. Mas o futebol português não pode servir como parâmetro, porque há poucas equipes que se destacam. O futebol brasileiro de "classe A" será o grande desafio da carreira de Casemiro. Então, motivação para dedicar-se de corpo e alma para atender e até superar as expectativas da massa atleticana não faltará. Sua ambição deverá ser alta, mas terá que se aliar ao talento e sorte que acompanham os grandes campeões.

A torcida deve estar ressabiada. Difícil é ter outra visão qua não seja de desconfiança. Vem à mente as aventuras de Artur Neto, Flávio Lopes, Heriberto Cunha. Mas a realidade é que vamos novamente ter que acompanhar o trabalho de alguém que nem sabíamos que trabalhava como técnico de futebol. Já está consumado. Agora, resta dar todo o apoio necessário a Casemiro para que ele nos supreenda positivamente. Que ele mostre que a diretoria estava certa quando o contratou. Que ele alivie a tensão dos ressabiados, a grande maioria da torcida, e mostre que é um trainador digno da elite da profissão. Agora é com ele. Que ele suporte bem este início e deslanche. Torcer por isso é o que nos cabe agora. O sucesso dele será o do Atlético.

Mais uma cartada ousada da diretoria. Um fracasso na Copa Libertadores sob o comando do novato técnico será difícil da torcida digerir. O trabalho desta mesma diretoria, altamente competente e vencedor, será colocado em xeque. Os rumos tomados serão questionados. Os mais exaltados, que por qualquer coisa gritam em coro pela saída de Petraglia e Fleury, terão alimento para suas lamúrias. Já o sucesso, confirmará o tino para boas contratações e a visão larga dos homens à frente do Atlético. Fortalecerá ainda mais os projetos de médio e longo prazo do Rubro-negro e estreitará os laços com a maioria dos torcedores. Mostrará também que não é com loucuras financeiras que se faz um time de alto brilho, mas com planejamento e estudo.

Sinceramente, torço por Casemiro não só porque ele é técnico do meu querido Atlético, mas por que não desejo, em hipótese alguma, uma turbulência de grandes proporções na caminhada do Clube Atlético Paranaense rumo ao olimpo dos grandes clubes do mundo. Torço por ele para que o trabalho pioneiro e moderno da diretoria não perca credibilidade e para que os oportunistas de plantão não passem a rondar o clube novamente com suas atitudes pretensamente revolucionárias. Torço por Casemiro para ver o Atlético brilhar de novo e calar a voz dos ignorantes da grande mídia nacional.

Vou apoveitar e deixar um humilde recado ao novo técnico neste site que é referência em Atlético: que você, Casemiro Mior, consiga realizar os sonhos dessa massa de mais de um milhão de corações rubro-negros. Nossas aspirações são altas e esperamos que as suas também sejam. Que uma grande e vitoriosa parceria inicie-se a partir de agora. Boa sorte.

Entre em contato com o colunista.



Últimas Notícias

Brasileiro

Cuidado!

  Foco na competição: No Brasileirão o Athletico ainda tem 11 jogos para disputar, o equivalente 33 pontos. Seis jogos em casa, cinco jogos fora.…

Notícias

O bom filho?

ANÚNCIO: Dia 01 outubro, um dia após vencer o Peñarol por 2 x 0, na Arena da Baixada e garantir presença na final da Copa…

Opinião

O Furacão voltou

Não podia ser num jogo qualquer… Nosso retorno para casa tinha que ser numa semi-final de Copa do Brasil, contra o badalado e protegido Flamengo,…