27 jan 2005 - 15h41

Análise do jogo Paranavaí 1 x 1 Atlético

Análise do jogo Paranavaí 1 x 1 Atlético
por Juarez Villela Filho

Pois bem, parece que até mesmo o pessoal do site está desanimado nesse início de temporada. Mais uma vez, serei eu que escreverei sobre a partida. A desmotivação é quase geral, seja pela venda em má hora do craque Jadson ou principalmente pelas apostas feitas pela diretoria. Mas vamos ao jogo.

Mais uma atuação fraca, porém enfrentamos um adversário bem montado e fora de casa, e para os jovens atletas rubro-negros, isso faz uma grande diferença! Na primeira etapa me convenci que Levice deixou resquícios no CT do Caju. O outrora criativo e ousado professor Lio optou por um esquema excessivamente cauteloso, para não dizer medroso. A bem da verdade ele não tem culpa quando jogadores como Morais e Bruno atuam abaixo do esperado. O primeiro, por incrível que pareça, jogou menos mal que nas partidas anteriores, mas mesmo assim muito, mas muito menos do que espera de um camisa 10 do Atlético. Ah! Para informar, o provável 10 é Fabrício…

No mais, vimos um time limitado, e que sabe das limitações, o que não deixa de ser bom. Os alas foram razoavelmente bem. Badé é que insiste em algumas jogadas em que já se sabe de antemão que nada resultarão, irritando o torcedor e o próprio time. Mas marcou bem, apesar de no segundo tempo ter levado uma “caneta” digna de propaganda de empresa de material esportivo.

Jorge Henrique é outro que veio cheio de moral, cava faltas, reclama bastante, mas ainda não sacudiu as redes. Mas reparei que o povo gostou dele, seu jeito marrento e até mesmo o peito estufado para correr, lembrando um lendário camisa 11 que teima em não se aposentar e ainda faz seus golzinhos por aí. No mais, Ticão jogou seu feijão com arroz com certo tempero e Dinei está se soltando, apesar de ter sido sacrificado ontem com um esquema muito recuado, obrigando o avante a vir buscar o jogo constantemente. Era o atacante celular na praia: sempre fora da área. Quando esteve lá, marcou!

Fica a esperança que alguns jogadores possam ser emprestados, que alguns voltem a estudar, a certeza que Durval e Ticão vão buscar um lugar ao sol no time principal e a torcida para que a teimosa e intransigente direção do clube busque reforços. Não peças de reposição, mas reforços mesmo, senão teremos mais um ano de lágrimas.

EM ALTA: Tiago Cardoso mostrou personalidade e é um goleiro que não dá rebote. Aos poucos, vai pegando ritmo de jogo e passando confiança ao torcedor. Por pouco não se consagrou ontem defendendo o pênalti.

EM BAIXA: parece marcação, mas é o terceiro jogo do campeonato e é a terceira vez que comento que a arbitragem foi ruim. O pênalti inexistente logo após o gol atleticano sinaliza algo perigoso. Parece que eles estão é seguindo ordens. Olho vivo, Atlético!

Juarez Villela Filho é colunista da Furacao.com. Clique aqui para ler outros textos de sua autoria.

O conteúdo da opinião acima é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não expressa necessariamente a opinião dos integrantes do site Furacao.com.

Entre em contato com o colunista.



Últimas Notícias

Brasileirão A1

Até empatar!

Pela nona rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 1 x 1 Anderson Daronco. Como já esperado, o jogo seria bastante brigado e equilibrado. O desequilíbrio…

Brasileirão A1

Pra espantar a zica

Pela oitava rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 3 x 1 Criciúma. Precisando se recuperar das últimas péssimas atuações, o Athletico foi a campo pressionado.…

Opinião

O paradoxo de Cuca

Há motivos para se gostar de Cuca, não necessariamente pelo o que tem feito aqui, mas pelo seu histórico vencedor, estando claramente na prateleira de…

Brasileirão A1

Mais do mesmo…

Pela sétima rodada do Brasileirão, no Presidente Vargas, Fortaleza 1 x 0 Athletico. Se a dificuldade técnica do time do Athletico já era esperada para…