19 maio 2005 - 22h51

Borba admite que seu trabalho era mais no emocional

Um Atlético abalado, desestruturado, sem confiança. Era mais ou menos esse o perfil do time atleticano quando Borba Filho assumiu o comando técnico do time, na quarta-feira da semana passada. Passados oitos dias de trabalho, o técnico interino do Furacão admite: sua principal preocupação era recuperar o estado emocional dos atletas.

“Desde o primeiro dia que começamos o trabalho no Atlético, naquela quarta-feira negra, a nossa proposta era de recuperar a auto-estima dos jogadores e incutir neles o hino do clube, que diz que a camisa rubro-negra só se veste por amor. O espírito é esse”, afirmou Borba.



Últimas Notícias

Brasileiro

Saudades do ex? Por aqui, não.

Pela terceira rodada do Brasileirão, o Athletico foi até Porto Alegre para enfrentar o Grêmio de Tiago Nunes. Surpreendente na escalação, António Oliveira iniciou o…