3 jun 2005 - 19h38

Colômbia comunica a desconvocação de Marín

O lateral-esquerda Vladimir Marín foi desconvocado da seleção colombiana. A princípio, ele disputaria as partidas contra Peru e Equador, pela Libertadores da América. Por conta disso, Marín não enfrentou o Botafogo, pelo Brasileiro e o Santos, pela Libertadores. No entanto, a presença do jogador na Kyocera Arena para assistir ao jogo contra o Peixe despertou curiosidade dos torcedores, uma vez que se imaginava que o atleta estivesse servindo a seleção de seu país.

Segundo comunicado oficial do clube, o Atlético recebeu uma notificação da Federação Colombiana de Futebol comunicando a desconvocação de Marín. Na verdade, a convocação de Marín para a seleção (que seria a primeira de sua carreira) durou apenas algumas horas.

Confusão da Federação Colombiana

O que se passou foi uma grande confusão da Federação Colombiana de Futebol, reprovada até mesmo pela imprensa local. A princípio, o técnico Reinaldo Rueda convocou Gerardo Bedoya (Boca Juniors) e Jair Benítez (Independiente Medellín) para a posição de lateral-esquerda. Ocorre que Bedoya viajou para o México com a delegação do Boca em virtude do jogo contra o Chivas Guadalajara, pelas quartas-de-final da Libertadores da América.

Diante disso, e por cautela, Marín foi convocado. No entanto, logo depois de desembarcar em solo mexicano, Bedoya resolveu se apresentar à seleção e embarcou rumo a Barranquilla, integrando-se ao grupo. Diante disso, a presença de Marín se tornou desnecessária, mas o atleta e o Atlético não foram comunicados a tempo de permitir a participação do jogador nos últimos compromissos. Marín ficou aguardando uma resposta. "Estou esperando as passagens. Ontem entramos em contato com a Federação, mas não puderam me liberar porque tenho de viajar a Barranquilla ainda esta noite", disse o jogador em entrevista a um programa de rádio colombiano ainda na quarta-feira.

O site FutbolRed.com reprovou a conduta da Federação Colombiana:

Los errores de la Selección Colombia

Son varios los errores que se han presentado en las últimas horas en lo que rodea al equipo nacional. El caso Bedoya y el de Marín más otras novedades han alterado de una u otra manera el diario de la Selección. Gerardo Bedoya estaba en Buenos Aires y se desplazó con Boca Juniors a Guadalajara para enfrentar a Chivas por la Copa Libertadores. Cerca de 13 horas estuvo el lateral sentado en un avión, pero desde México habló con Reynaldo Rueda y, sin jugar un sólo minuto, viajó rumbo a Barranquilla para integrarse este miércoles en la medianoche al plantel. Con la llegada de Bedoya, el llamado de Vladimir Marín, quien había afirmado que sólo le faltaban los tiquetes para viajar a la ciudad sede del conjunto nacional, se canceló sin mayor explicación. Lo peor fue que el jugador no pudo actuar anoche con Paranaense ante Santos por la Libertadores. Su equipo ganó tres a dos."



Últimas Notícias

Opinião

Passo a passo

O mundo anda acelerado demais. Era um processo que já vínhamos passando mas parece que se acelerou no período pós pandemia, pois todo mundo parece…