10 jun 2005 - 12h29

CBF não libera atletas do Santos e do São Paulo

Santos e o São Paulo tentaram, mas não conseguiram liberar os jogadores Robinho, Léo e Cicinho da convocação para a Copa das Confederações. Na noite de quinta-feira, Teixeira participou de um jantar em São Paulo, oferecido pela Federação Paulista de Futebol. No encontro, ele foi questionado pelos presidentes Marcelo Teixeira (Santos) e Marcelo Portugal Gouvêa (São Paulo) para liberar os atletas.

"Fiquei à espera do Marcelo, para ver se ele conseguiu alguma coisa. Mas a resposta foi não", disse o presidente do São Paulo. O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, já havia sido categórico no desembarque da Seleção Brasileira, que na madrugada de quinta-feira voltava da Argentina. Quando foi questionado se existiria a possibilidade de algum jogador ser liberado ele foi o mais direto possível: "Não".

Assim, o Santos não terá Robinho e Léo para o jogo da próxima quarta-feira, na Vila Belmiro, contra o Atlético-PR, valendo vaga para a semifinal da Libertadores.

O São Paulo ficará sem Cicinho para o jogo contra o Tigres, no México. Dessa maneira, Gallo terá de adiar a estréia de seu trio de ataque com Robinho, Deivid e Giovanni, que juntos contabilizam 205 gols pelo Santos. Robinho já fez 77, Deivid anotou 59 e Giovanni na sua primeira passagem pelo clube marcou 69.

Na verdade, essa formação pode ficar apenas nos sonhos santistas. Se o Brasil chegar às finais da Copa das Confederações, o retorno de Robinho ao Brasil acontecerá no fim deste mês, no dia 29 de junho.

O contrato de Deivid acaba um dia depois e o Santos está tendo problemas em renovar por mais um ano o empréstimo do atacante, que pertence ao Bordeaux (França). E corre o risco de Robinho nem voltar. Apesar de o presidente Marcelo Teixeira garantir que o atacante fica no Santos até a Copa do Mundo de 2006, Robinho, em entrevistas, diz que sua meta é ganhar a Libertadores pelo Santos e que depois pensará na sua transferência para o mercado europeu.



Últimas Notícias