1 jul 2005 - 18h27

Primeiro jogo da final deverá ser na Arena

O mistério durou menos de 24 horas. A primeira partida da final da Copa Libertadores da América 2005 será mesmo realizada no estádio mais moderno da América Latina, a Kyocera Arena, em Curitiba. Nada mais adequado para o palco da competição de clubes mais importante do continente e condizente com o alto nível técnico dos finalistas, Atlético e São Paulo. Neste mesmo estádio, os dois times já decidiram quartas-de-final do Campeonato Brasileiro (em 2001), em perfeitas condições de segurança e conforto para jogadores e torcedores. Foi assim também em todas os demais 192 jogos já realizados no estádio, incluindo as oitavas, as quartas e a semifinal da Libertadores deste ano.

De acordo com o regulamento da Copa Toyota Libertadores, os estádios da fase final da competição necessitam de uma capacidade mínima de 40 mil espectadores (artigo 9.6). Tal exigência é uma garantia para que os jogos decisivos sejam realizados em praças com condições adequadas de segurança, conforto e até de magnitude para receber os jogos. Nos últimos anos, a evolução tecnológica e os avanços do tratamento do futebol como entretenimento produziram profundas alterações no conceito de construção de estádios. Caiu em desuso o movimento de construção de estádios com capacidade para mais de 50 mil pessoas, mas sem conforto e segurança para os torcedores. Surgiu o conceito das arenas multiuso, com menos lugares, mas mais modernas e adequadas ao espetáculo do futebol. No Brasil, a Kyocera Arena é a pioneira desse modelo, oferecendo totais condições para jogos de grande porte.

Arquibancadas tubulares

Ainda assim, apenas para atender a todas as exigências requeridas no regulamento da competição da Libertadores, o Atlético instalará arquibancadas móveis metálicas especialmente para esta partida. As arquibancadas tubulares, semelhantes às que já foram usadas na Baixada em 1996, serão instaladas no espaço onde atualmente está o muro que separa a Arena do Colégio Expoente e onde há o camarote da diretoria atleticana.

As medidas para poder realizar a primeira partida da final da Libertadores na Kyocera Arena começaram a ser tomadas pela diretoria assim que o clube obteve a classificação, nesta quinta-feira à noite. Nesta sexta, foi enviado um ofício à Confederação Sul-Americana de Futebol, por meio da CBF, informando o projeto de instalação de arquibancadas tubulares para ampliar a capacidade para Arena para 40.800 lugares. Em acordo firmado com o Expoente, o Atlético obteve autorização para utilizar parte do terreno do qual o colégio é locatário (e o Atlético é proprietário). A princípio, o acordo valerá apenas para este jogo da Libertadores, mas poderá ser ampliado posteriormente.

Obras

De todo modo, as obras deverão correr contra o tempo e o clube tomou todas as medidas para tanto. O Atlético precisará providenciar todas as mudanças até a próxima terça-feira, derrubando o muro e instalando as arquibancadas tubulares. O muro que separa a Arena do colégio começou a ser destruído no final da tarde desta sexta-feira.

Depois, serão instaladas as arquibancadas e o clube precisará obter laudos do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar liberando o estádio para o jogo. Com isso, a Arena passará a contar com capacidade de 40.800, superando o que exige o regulamento. O São Paulo terá uma carga de 10% desses ingressos, também de acordo com o exigido pelas entidades. Em virtude dos gastos que o clube terá com a ampliação do estádio, os ingressos deverão sofrer uma majoração, seguindo a tendência que o São Paulo iniciou com o anúncio do aumento do preço dos bilhetes para o jogo de volta, no Morumbi.

Mesmo com a capacidade ampliada, a Baixada será pequena para o tamanho da festa!



Últimas Notícias

Opinião

Passo a passo

O mundo anda acelerado demais. Era um processo que já vínhamos passando mas parece que se acelerou no período pós pandemia, pois todo mundo parece…