2 jul 2005 - 12h19

FutebolPR relata bastidores das negociações

Em matéria publicada na madrugada deste sábado, o site FutebolPR revelou detalhes dos bastidores da negociação entre Atlético, CBF e Conmebol para a liberação da Kyocera Arena para a primeira partida da final da Copa Toyota Libertadores, contra o São Paulo. De acordo com a reportagem, de autoria do jornalista Altair Santos, a entidade sul-americana deverá liberar o jogo na Arena, desde que haja comprovação de segurança nas arquibancadas tubulares a serem instaladas pelo clube.

Confira abaixo alguns trechos interessantes da matéria (clique aqui para ler a reportagem na íntegra no site FutebolPR):

PLANEJAMENTO
"Engana-se quem pensa que foi abrupta e impensada a decisão de erguer arquibancadas tubulares na Arena da Baixada, a fim de que o estádio atinja a capacidade de 40 mil lugares e permita ao Atlético disputar o primeiro jogo da final da Libertadores em casa. A obra emergencial, que começou na noite desta sexta-feira, foi planejada há dez dias e está ancorada em uma minuciosa arquitetura política que envolveu a diretoria rubro-negra, a Federação Paranaense de Futebol e a CBF."

PRECEDENTE
"O artigo é claro: exige 40 mil lugares, mas não necessariamente dentro das regras da Fifa e nem do Estatuto do Torcedor. Ou seja, podem ser 40 mil pessoas, e parte delas em pé, já que o regulamento ainda leva em consideração as gerais dos antigos estádios. Assim, o regulamento abre precedente para que um estádio abrigue arquibancadas tubulares, expediente, aliás, já autorizado pela Conmebol nesta edição da Libertadores, pois o Santo André usou da mesma construção para ampliar seu estádio e poder mandar jogos do torneio continental em casa."

CBF AUTORIZA
"Foi aí que o presidente da Federação Paranaense de Futebol, Onaireves Moura, teve um papel importante. Já na segunda-feira, ele contatou o diretor técnico da CBF, Vergílio Elísio, perguntando se a confederação poderia intervir junto à Conmebol para que a Arena sediasse uma das finais da Libertadores. "Ficou tudo em suspenso, na espera de que o Ricardo (Ricardo Teixeira, presidente da CBF) voltasse da Copa das Confederações, na Alemanha, e mantivesse contato com o Nicolas Leoz, da Conmebol", disse Moura. Nesta sexta-feira, quando desembarcou no Rio, Ricardo Teixeira interveio por telefone. Ficou acertado com a Conmebol que se a federação local e a CBF derem garantias de que haverá segurança no estádio, e de que as arquibancadas tubulares na Arena são seguras, a confederação sul-americana vai autorizar o jogo."

ACORDO COM O COLÉGIO
"Paralelo a estas tratativas nos bastidores, o Atlético conseguiu fazer coincidir nesta sexta-feira a conclusão de uma negociação que já se arrastava por mais de um mês: chegar a um acordo com o Colégio Expoente e com o proprietário do terreno vizinho à Arena, Marcelo Gava. Assim, ficou definido que escola e dono do terreno liberam ao clube a área necessária para finalizar as obras do estádio. Depois do jogo de quarta-feira, às 21h45, as arquibancadas tubulares serão desmontadas e começam a dar lugar às obras que em um ano devem transformar a Arena em um estádio para 45 mil lugares e o primeiro pronto para receber jogos da Copa 2014, a ser realizada no Brasil."



Últimas Notícias